59º Congresso Brasileiro de Ginecologia e Obstetrícia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

Diagnóstico Diferencial em Patologia do Trato Genital Inferior: Pólipo Endocervical x Pseudopólipo

CONTEXTO

Os pólipos endocervicais são os tumores benignos mais comuns do colo uterino. Sua incidência é de 2-5% e atingem preferencialmente as mulheres entre 40-50 anos. A etiologia é desconhecida, mas acredita-se na influência de estados inflamatórios crônicos. São estruturas polipoides mucosas provenientes do epitélio cilíndrico da endocérvice e se exteriorizam pelo orifício externo. O diagnóstico diferencial inclui um pólipo endometrial, o leiomioma prolapsado e os pseudopólipos. Os pólipos ectocervicais ou pseudopólipos, são menos frequentes e acometem com maior frequência as mulheres após a menopausa. A polipectomia pode ser realizada segurando a base do pólipo com uma pinça e torcendo-o. Quando a base é larga, pode ser utilizada eletrocauterização ou laser para reduzir a probabilidade de recorrência. A malignidade é raramente encontrada em um pólipo cervical.

DESCRIÇÃO DO(S) CASO(S) ou da SÉRIE DE CASOS

Paciente de 35 anos, encaminhada ao Ambulatório de Patologias do Trato Genital Inferior devido a lesão em colo do útero compatível com pólipo endocervical. Apresentava exames citopatológicos regulares, sem alterações prévias. Ausência de história patológica pregressa relevante. Na história ginecológica tinha apenas um fator de risco para câncer do colo do útero: > 10 parceiros durante a vida. Ao exame físico, em 16/06/2021: nota-se ao exame especular nodulação polipoide proveniente do colo do útero, de aproximadamente 2cm, com área de granulação às 12-1h, com pedículo extenso que não permite exérese ambulatorial. À colposcopia: Zona de transformação normal, sem alterações ao exame. Ao final da consulta, a principal hipótese tratava-se de um pólipo ectocervical ou pseudopólipo devido a sua localização e características. Foi agendado o procedimento de retirada da lesão por meio de eletrocauterização, devido a extensão do pedículo. Realizado procedimento em 06/08/2021, sem intercorrências, e enviado material a anatomia patológica.

COMENTÁRIOS

O pólipo endocervical deve ser sempre diferenciado do pseudopólipo. Para o examinador menos experiente, esses dois tumores benignos podem ser encarados como a mesma patologia, porém, apresentam estrutura histológica diferente e acometem mulheres em faixas etárias diferentes. Além disso, como os pseudopólipos se inserem na ectocérvice, em muitos casos o tratamento com a exérese por torção nem sempre é a melhor conduta a ser realizada. Assim, esse caso clínico mostra a condução de um pseudopólipo, do diagnóstico ao tratamento, que culminou com a enorme satisfação da paciente.

PALAVRA CHAVE

"Colo do Útero" "Eletrocoagulação" "Pólipo" "Pseudopólipo"

Área

GINECOLOGIA - Patologia do Trato Genital Inferior

Autores

Maria de Fátima Dias de Sousa Brito, Thyene de Vilhena, Izabel Brito Teixeira, Enzo Brito Teixeira, Sabrina Carpanez Veiga, Alba Larissa dos Santos Esperidião, Lígia Sant Ana Bonisson, Isabela Furtado Guiotti

Adicione na sua agenda: AppleGoogleOffice 365OutlookOutlook.comYahoo