59º Congresso Brasileiro de Ginecologia e Obstetrícia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

DERMATOMIOSITE EM GESTANTE: UM RELATO DE CASO

CONTEXTO

A dermatomiosite é uma miopatia inflamatória idiopática mais frequente em mulheres de origem latina. Muito relacionada a neoplasias, principalmente de origem ginecológica. Doença incomum, porém, de grande importância, por seu acometimento sistêmico, com poucos estudos relacionados a gestação.

DESCRIÇÃO DO(S) CASO(S) ou da SÉRIE DE CASOS

Paciente MCJM, 32 anos, G4P3, admitida com 18 semanas e 5 dias, natural da Colômbia, residente em Canoas – RS, para investigação de edema progressivo surgido há 2 semanas. Sintomas piores pela manhã, associados a dor em membros, disfonia, dificuldade de deambulação, lesões de pele hipercrômicas, redução da diurese e colúria. Durante a internação verificou-se elevação de enzimas musculares, apoiando diagnóstico de miopatia inflamatória. Ao exame possuía pápulas de Gottron, lesões melanocíticas em região malar, testa e áreas de exposição solar, perda da força global em membros e dificuldade para deambular. O conjunto destes corroborou para o diagnóstico de dermatomiosite. Foi tratada com prednisona e imunoglobulina IV por 4 dias, sem resposta satisfatória. Portanto, foi realizada pulsoterapia com metilprednisona por 3 dias, após desverminação com albendazol por 5 dias, seguida de melhora clínica e laboratorial. Realizados ecodoppler de membros bilateralmente por dor/empastamento e excluindo-se trombose. Descartou-se cânceres ginecológicos com ultrassonografia transvaginal e citopatológico, sem anormalidades. Durante a internação foi acompanhada obstetricamente, mantendo-se sem alterações quanto a gestação. Evoluiu com melhora, recuperando força, reduzido lesões cutâneas, edema e deambulando sem grandes limitações. Orientada a manter seguimento clínico e pré-natal de alto risco.

COMENTÁRIOS

A dermatomiosite está relacionada à câncer, lesão cutânea, muscular, digestiva, pulmonar e cardíaca. São sinais patognomônicos: pápulas de Gottron e Heliótropo, sendo o primeiro presente no caso. Há perda de força proximal, simétrica e progressiva. Cursa com aumento da creatinofosfoquinase e desidrogenase lática. A eletroneuromiografia pode definir a etiologia da miosite, neural ou muscular. Os corticoides sistêmicos alteram o prognóstico da doença e reduzem mortalidade, tendo sido a metilprednisona o de escolha. O tratamento adequado pode melhorar desfechos gestacionais. Contudo, ainda há pouca literatura sobre o tema. O desfecho exato da gestação é controverso, sendo esta a importância do caso relatado.

PALAVRA CHAVE

Dermatomiosite e gestação

Área

OBSTETRÍCIA - Gestação de Alto Risco

Autores

Belkiss Sperandio de Sá, Juliana Cechinato Zanotto, Rita de Cassia Borges Chapon, Cibele Borges Mendonça, Vinicius dos Santos Conejo

Adicione na sua agenda: AppleGoogleOffice 365OutlookOutlook.comYahoo