59º Congresso Brasileiro de Ginecologia e Obstetrícia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

MALFORMAÇÃO MULLERIANA NA CIRURGIA LAPAROSCÓPICA GINECOLÓGICA - RELATO DE CASO

CONTEXTO

As anomalias Müllerianas congênitas, ocorrem por fusão embriológica defeituosa ou falhas na recanalização dos ductos de Müller na formação de útero, trompas e terço superior da vagina, que ocorrem por volta da 12ª semana de gestação A incidência é difícil de determinar, visto que muitas são assintomáticas, variando entre 3 a 5%.

DESCRIÇÃO DO(S) CASO(S) ou da SÉRIE DE CASOS

A.C.S., 16 anos, natural do Rio de Janeiro, solteira, estudante, refere dor abdominal.
VIRGO, menarca aos 15 anos, com fluxo menstrual irregular e história de dores abdominais intensas relacionadas aos ciclos menstruais e refratárias à analgesia oral. Sob internação hospitalar por quadro álgico agudo, foi submetida à RNM que evidenciou útero unicorno com corno rudimentar não comunicante à direita com hematossalpinge, além de rim único à esquerda. Diante do quadro descrito, foi indicada abordagem Laparoscópica exploradora e realizada exérese de corno rudimentar, além de histeroscopia para avaliação de cavidade de útero unicorno e septo vaginal (ausente).

COMENTÁRIOS

Apesar de pouco incidente, as malformações mullerianas, principalmente quando sintomáticas, podem causar prejuízos importantes para as pacientes, desde queixas álgicas intensas à infertilidade, mostrando a importância da investigação diagnóstica e proposta de tratamento de acordo com cada caso de forma individualizada. No caso descrito, foi discutido e proposto junto com a paciente e a família, a conduta que mais se adequava às suas queixas e expectativas.

PALAVRA CHAVE

malformação mulleriana

Área

GINECOLOGIA - Endoscopia Ginecológica

Autores

Júlia Gomes Gonçalves de Moura, Alyne Souza Felix Fonseca, Fernanda Baleeiro Neves, Plinio Tostes Berardo

Adicione na sua agenda: AppleGoogleOffice 365OutlookOutlook.comYahoo