59º Congresso Brasileiro de Ginecologia e Obstetrícia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

IMPACTO DA UTILIZAÇÃO DE APLICATIVOS DE MENSAGENS ELETRÔNICAS NA QUALIDADE DE VIDA DE MÉDICOS GINECOLOGISTAS

OBJETIVO

A revolução digital causou profundo impacto na forma de interação entre médicos e pacientes e o crescente uso de smartphones criou uma era na troca de informações entre os profissionais de saúde e pacientes. A necessidade de se ajustar a estas mudanças induz a uma situação de conflito e ansiedade. O presente estudo avaliou o impacto da utilização do aplicativo WhatsApp na qualidade de vida dos médicos ginecologistas. O objetivo secundário foi a validação de dois instrumentos para avaliação de estresse tecnológico.

MÉTODOS

Realizamos estudo prospectivo entre agosto de 2019 e julho de 2020 que foi previamente aprovado pelo CEP sob o número 3.528.229. Foram estudados médicos ginecologistas que utilizam WhatsApp como meio de comunicação com pacientes.
Os participantes responderam a quatro instrumentos: questionário sociodemográfico; a escala de estresse do WhatsApp (WASS), Oldenburg Burnout Inventory (OLBI) validado para a língua portuguesa e o questionário de estresse tecnológico. Durante o estudo, o questionário WASS desenvolvido por nosso grupo foi validado e, adicionalmente, realizamos a tradução, adaptação cultural e validação do questionário de estresse tecnológico.
Os ginecologistas incluídos em nosso estudo foram divididos em três grupos de pesquisa de acordo com o tempo de uso semanal do aplicativo: 2 h ou menos (grupo 1), 2 a 5 h (grupo 2) e mais de 5 h (grupo 3). O tamanho amostral calculado foi de 42 pacientes por grupo com poder estatístico de 80% e α = 5%.

RESULTADOS

Foram incluídos 138 ginecologistas. Encontramos que os médicos que referiram gastar mais de cinco horas por semana comunicando-se com pacientes por via WhatsApp tinham pior qualidade de vida avaliada pelo WASS (p = 0,010), Burnout (p<0,001) e maiores escores de estresse tecnológico (p<0,05). O coeficiente alfa de Cronbach e a confiabilidade teste-reteste no WASS e no questionário de estresse tecnológico foram > 0,75; demonstrando boa consistência interna para ambos instrumentos. Portanto, a validade dessas ferramentas foi adequada.

CONCLUSÕES

O presente estudo demonstrou associação entre a maior frequência de uso do WhatsApp e os níveis inferiores de qualidade de vida. Os instrumentos WASS e de estresse tecnológico validados foram instrumentos eficazes para a avaliação da qualidade de vida e do estresse em médicos ginecologistas que usam o WhatsApp.

PALAVRA CHAVE

QUALIDADE DE VIDA; QUESTIONÁRIO; SMARTPHONE

Área

GINECOLOGIA - Multidisciplinar

Autores

EMERSON OLIVEIRA, MELISSA GONZALES VEIGA, ROGERIO TADEU FELIZI, CESAR EDUARDO FERNANDES

Adicione na sua agenda: AppleGoogleOffice 365OutlookOutlook.comYahoo