59º Congresso Brasileiro de Ginecologia e Obstetrícia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

MORBIDADE MATERNA DECORRENTE DE ACRETISMO PLACENTÁRIO: UM RELATO DE CASO

CONTEXTO

Acretismo placentário é invasão da placenta no miométrio e ou tecidos adjacentes. Sua ocorrência está associada a alta morbimortalidade materna e perinatal devido ao risco de hemorragia periparto, prematuridade e morte. Fatores de risco: múltiplas cesareanas, idade materna superior aos 35 anos, multiparidade, defeitos endometriais e leiomioma submucoso. Diagnóstico pela ultrassonagrafia obstetrica e ressonância magnética para os casos duvidosos. O diagnostico durante o pré-natal, permite o planejamento evitando complicações maternofetais tais como o parto prematuro, choque hipovolemico, Coagulação intravascular disseminada, Síndrome do desconforto respiratório agudo, Insuficiencia Renal, histerectomia periparto, além de morte materna.

DESCRIÇÃO DO(S) CASO(S) ou da SÉRIE DE CASOS

JSS, 34 anos, G8PC4A3, idade gestacional 31+1, tabagista, usuária de drogas ilícitas e sem pré-natal. Interna em 19/01/2021 por Amniorrexe prematura, indicada conduta conservadora com corticoterapia antenatal e uso de antibioticoterapia. Ultrassonografia com doppler: ausência de movimentação fetal, presença de movimentos respiratórios, BCF de 142bpm, oligoamnio e peso de 1360g (p<3), doppler normal, placenta com vasos discretamente tortuosos em região fúndica, além de visualização dificultada da interface entre a parede uterina posterior e placenta, sugerindo CIUR estágio I e acretismo placentário. Em 25/01/2021 apresenta sangramento vaginal e aumento de tônus uterino, sendo indicada cesareana. Evoluiu com atonia uterina, sangramento aumentado, culminando em histerectomia puerperal. Reabordagem em 25/01/2021 para controle de sangramento. Em 27/01/2021 nova reabordagem por choque hemorrárgico e coagulação intravascular disseminada, com ligadura da artéria ovariana direita e ooforectomia, descrito hemostasia rigorosa, com uso de compressas que foram retiradas 30/01/2021. Permaneceu em CTI de 27/01/2021 a 09/02/2021, evoluiu com síndrome da angústia respiratória aguda, utilizou ventilação não invasiva e foi manejada com antibioticoterapia e fisioterapia respiratória. Alta para enfermaria em 09/02/2021. Alta hospitalar em 22/02/2021.

COMENTÁRIOS

Acretismo placentário aumenta a morbimortalidade maternofetal. Histórico obstétrico e diagnóstico precoce no Pré-Natal entre as pacientes com fatores de risco é de fundamental importância para prevenir desfechos desfavoráveis, programando a interrupção da gestação de forma segura.

PALAVRA CHAVE

Acretismo placentário; Morbimortalidade materna; Diagnóstico precoce; Prematuridade.

Área

OBSTETRÍCIA - Gestação de Alto Risco

Autores

Samuel Cavalcante Reis, Luciana Corrêa de Moraes da Cunha, Thales Moura de Assis, Gabriel Santana Pereira de Oliveira, Otávio Martins Cruz, Izadora Xavier Fonseca Chaves, Vanessa Vianna Duarte Sorondo, Edmar Cesár de Oliveira

Adicione na sua agenda: AppleGoogleOffice 365OutlookOutlook.comYahoo