59º Congresso Brasileiro de Ginecologia e Obstetrícia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

COMPARAÇÃO ENTRE DETERMINANTES PARA ORGASMO EM ESTUDANTES DE MEDICINA FEMININOS E MASCULINOS DO SUL DO BRASIL

OBJETIVO

Este trabalho objetiva avaliar as diferenças existentes entre os determinantes de piores escores no domínio de orgasmo do FSFI-6 e IIEF entre estudantes de Medicina femininos e masculinos, respectivamente.

MÉTODOS

Um survey online na plataforma Google Forms foi enviado para as turmas de medicina via e-mail, WhatsApp e Facebook. Todos os participantes responderam anonimamente um questionário abrangendo fatores sociodemográficos e comportamentais, seguido por questões referentes à sexualidade, totalizando 34 perguntas para o sexo feminino e 46 para o masculino. Foram incluídas perguntas derivadas dos questionários Female Sexual Function Index (FSFI-6), International Index of Erectile Function (IIEF) e Premature Ejaculation Diagnostic Tool (PEDT), ambos validados em português. As variáveis ​​foram analisadas estatisticamente por meio do software estatístico SPSS.

RESULTADOS

Participaram da pesquisa 300 acadêmicos do curso de medicina, sendo 56,3% (n=169) do sexo feminino e 43,7% (n=131) do sexo masculino. Nesses, a prática sexual foi referida por 96,4% (n=163) e 94,7% (n=124), respectivamente. Em relação à amostra masculina, foi observada associação significativa entre piores escores no domínio de orgasmo do IIEF e as variáveis estado civil solteiro (p<0.0001) e tabagismo (p=0.016). No que diz respeito às meninas, houve associação entre piores escores do domínio de orgasmo do FSFI-6 e ausência de atividade física (p=0.010) e estado civil solteira (p<0.0001). Nessas, a escolha do método contraceptivo parece repercutir nesse aspecto, uma vez que meninas que usavam anticoncepcional oral (p=0.012) e/ou preservativo masculino (p=0.003) também tiveram piores pontuações no domínio orgasmo.

CONCLUSÕES

Neste estudo, a população feminina demonstrou ter o orgasmo afetado por maior número variáveis comparativamente aos meninos, assemelhando-se a dados da literatura. Visto que alguns desses fatores se referem a hábitos de vida, sendo modificáveis, faz-se relevante seu reconhecimento na abordagem e discussão das disfunções sexuais em mulheres.

PALAVRA CHAVE

Sexualidade; Orgasmo

Área

GINECOLOGIA - Sexualidade

Autores

Heloísa Augusta Castralli, Gabrielle Simon Tronco, Luiza Salatino, Guilherme Lang Motta, Maira Zancan

Adicione na sua agenda: AppleGoogleOffice 365OutlookOutlook.comYahoo