59º Congresso Brasileiro de Ginecologia e Obstetrícia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

FATORES RELACIONADOS A NÃO REALIZAÇÃO DO EXAME DE PAPANICOLAU

OBJETIVO

O objetivo desta pesquisa foi identificar os fatores que levam as mulheres que frequentam uma Unidade Básica de Saúde a não realizarem o exame citopatológico cervical (Papanicolau), já que vários estudos têm observado menor cobertura da realização do exame entre mulheres com maior vulnerabilidade social, principalmente nas regiões de menor nível socioeconômico do país, e sugerem a necessidade de um melhor entendimento das razões subjacentes às altas taxas de incidência e mortalidade do câncer de colo de útero em relação à oferta e cobertura de um procedimento de diagnóstico precoce potencialmente eficaz.

MÉTODOS

Trata-se de um estudo transversal quantitativo em mulheres adscritas e frequentadoras da Unidade Básica de Saúde Industrial (UBS) da cidade de Maringá-PR. Os fatores de inclusão foram: mulheres entre a faixa etária de 25 a 64 anos de idade; e que frequentassem a área de abrangência territorial. Os fatores de exclusão foram: mulheres que não aceitassem participar do estudo. O tamanho da amostra foi estimado com o objetivo de assegurar representatividade para o evento em estudo. O cálculo da amostra utilizou as informações do cadastramento familiar, realizado no E-SUS da UBS industrial referente à população de mulheres com idade entre 25 e 64 anos, perfazendo um total de 1945 mulheres, tendo sido estabelecido o número de 321 mulheres a serem estudadas.

RESULTADOS

Os resultados apontaram que 18,4% das mulheres não realizaram o exame nos últimos três anos. A não realização do exame de Papanicolau foi identificada entre as mulheres com menor renda per capta (p=0,02), com idade da sexarca ≤16 anos (p=0,005) e entre aquelas que não apresentam história familiar de câncer (p=0,004). Entre as limitações deste estudo se destaca a limitação relacionada ao viés de recordatório. Sempre que possível, foi identificado o pedido e a data de realização do exame no sistema de informação E-SUS da UBS, de modo a eliminar possíveis dúvidas sobre a data do último preventivo.

CONCLUSÕES

Conclui-se que, apesar das inúmeras dificuldades e barreiras apontadas pelas mulheres, observou-se boa adesão ao rastreamento do câncer do colo do útero. Os resultados encontrados, no entanto, apontam para a necessidade ainda de estímulo para a realização do exame com o intuito de melhor compreensão das crenças e dificuldades emocionais ainda presentes entre as mulheres.

PALAVRA CHAVE

Neoplasias de Colo de Útero; Programa de Rastreamento; Saúde da mulher; Teste de Papanicolau.

Área

GINECOLOGIA - Atenção primária

Autores

Marina Mattei Garcia, Filipe Zemuner Paiva Rossini, Victor Perussi Luz, Ezequiel Mattei

Adicione na sua agenda: AppleGoogleOffice 365OutlookOutlook.comYahoo