59º Congresso Brasileiro de Ginecologia e Obstetrícia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

Desafio na abordagem terapêutica e diagnóstico de mastite granulomatosa idiopática: um relato de caso

CONTEXTO

Mastite é uma condição inflamatória comumente associada à lactação, mas que pode acometer a mama sem etiologia definida. Inclui-se nisso a mastite granulomatosa idiopática, inflamação crônica rara e recidivante, que desperta dificuldades terapêuticas e diagnósticas.

DESCRIÇÃO DO(S) CASO(S) ou da SÉRIE DE CASOS

Mulher, 42 anos, G2P2CA0, cessou lactação há 4 anos. Encaminhada ao serviço de Mastologia em setembro/2020, com diagnóstico clínico de mastite infecciosa referindo uso de Cefalexina por 7 dias. Portava mamografia com predomínio denso do parênquima e calcificações tipicamente benignas bilaterais e ultrassonografia evidenciou aumento da ecogenicidade da pele e do parênquima mamário em mama direita. Ao exame físico, apresentou em mama direita nódulo palpável, doloroso, móvel em região de QIL com 6 cm e hiperemia de pele. Realizada biópsia incisional com diagnóstico histológico de fibrose cicatricial da derme e culturas negativas para inespecíficos, tuberculose e fungos, sendo recomendado seguimento semestral.
Em maio/2021, retornou com nodulação de 7 cm em QSM e hiperemia da mama direita, sem ponto de flutuação. Sem resposta a Sulfametoxazol e Trimetoprim por 5 dias e com piora do estado geral, foi optado pela internação e antibioticoterapia venosa com Clindamicina.
No seguimento ambulatorial, ainda sem remissão completa da lesão, apresentou ao exame físico nodulação de 12 cm em QSM da mama direita, sendo submetida à biópsia incisional e culturas, negativas para fungos e tuberculose, com evidência de Staphylococcus hominis sensível à Teicoplanina e anatomopatológico sugestivo de mastite granulomatosa idiopática. Paciente segue em antibioticoterapia específica com programação de sequência terapêutica.

COMENTÁRIOS

Vê-se a relevância da distinção precoce das mastites crônicas, evitando complicações e retardo resolutivo.
Convergindo com a literatura, a paciente apresentou franco quadro clínico inflamatório, de evolução prolongada, sem completa resolução ao uso de antimicrobianos, refletindo a dificuldade da ação medicamentosa em abscessos. Apesar da ampla investigação clínico-radiológica, a confirmação diagnóstica de mastite granulomatosa só é possível pela análise histopatológica do tecido acometido, após biópsia.
Assim, é vital que adotem-se propedêuticas mais específicas após findado o diagnóstico. Sabe-se que a administração de corticosteroides, drenagem cirúrgica e manutenção da antibioticoterapia são capazes de promover melhora clínica; em último caso, mastectomia deve ser a conduta.

PALAVRA CHAVE

Mastite Granulomatosa

Área

GINECOLOGIA - Mastologia

Autores

Lavínya Araujo Callegari, Júlia Salarini Carneiro, Juliana Ribeiro de Oliveira, Morgana Helena Amaral Navas, Lívia Selvatici Trazzi , Cleverson Gomes do Carmo Junior, Janine Martins Machado, Djalma Gomes Neto, Carolina Loyola Prest Ferrugini

Adicione na sua agenda: AppleGoogleOffice 365OutlookOutlook.comYahoo