59º Congresso Brasileiro de Ginecologia e Obstetrícia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

Morbidade materna: aplicação da ferramenta WOICE da OMS em pré-natal de alto risco.

OBJETIVO

Aplicar a ferramenta WOICE (WHO Maternal Morbidity Tool) da Organização Mundial da Saúde (OMS) em gestantes com morbidades clínicas.

MÉTODOS

Corte transversal de mulheres em seguimento pré-natal especializado em cidade do interior de São Paulo. Foi aplicada a ferramenta WOICE por pesquisadores treinados. A ferramenta é constituída por diferentes instrumentos cujo objetivo é avaliar a frequência de distúrbios à saúde sexual, exposição às violências, consumo de substâncias, prejuízos à funcionalidade, ansiedade e depressão. A ferramenta já foi previamente validada no Brasil. Todas as gestantes admitidas no ambulatório antes de 20 semanas de gestação entre junho de 2020 a junho de 2021 foram convidadas a participar e, após assinatura do termo de consentimento (CAAE 30389020.9.0000.5374), foi realizada a entrevista e os dados foram armazenados em banco de dados protegido por senha. Os resultados foram descritos como médias e desvio-padrão ou porcentagem.

RESULTADOS

43 mulheres foram incluídas, com idade média de 29,41±5,55 anos. A maior parte era casada (88,3%), não branca (60,5%) e já tinha gestação anterior (86,1%). A renda familiar média foi de R$ 2.048±940. 67,8% das entrevistadas trabalharam nos últimos 12 meses. O tempo de deslocamento até o serviço de saúde foi < 30 min para a maioria (72,1%). 83,7% das mulheres tinham atividade sexual e o mesmo número estava satisfeita com a sua vida sexual; entretanto 23,2% relatou pouco interesse sexual. 11,6% das gestantes relataram consumo de drogas, e 40% destas relatou prejuízo às suas atividades de vida diária. A violência foi uma preocupação para 9,3% das mulheres, das quais 4,6% efetivamente sofreram violência física durante a gestação. 23,2% das pacientes avaliadas apresentaram distúrbios em sua funcionalidade. Sintomas graves ou moderados de depressão ou ansiedade foram apresentados por 34,8% e 37,1% das mulheres incluídas, respectivamente.

CONCLUSÕES

A aplicação de ferramenta específica permite entender outras dimensões da morbidade materna, evidenciando alta frequência de ansiedade e depressão em mulheres seguidas em pré-natal de alto risco.

PALAVRA CHAVE

Morte materna, Cuidado Pré-Natal, Determinantes Sociais da Saúde

Área

OBSTETRÍCIA - Gestação de Alto Risco

Autores

Ariane Rocha Ribeiro, Cesar Sousa Teixeira Bueno, Maryara Gomes do Prado Paraizo, Jhenifer Nataly Moura França, José Paulo Siqueira Guida, Kátia Piton Serra

Adicione na sua agenda: AppleGoogleOffice 365OutlookOutlook.comYahoo