59º Congresso Brasileiro de Ginecologia e Obstetrícia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

EDEMA VULVAR MACIÇO EM PACIENTE COM PRÉ-ECLÂMPSIA: RELATO DE CASO

CONTEXTO

As síndromes hipertensivas intercorrentes na gestação acarretam impacto significativo nos indicadores de saúde materno-infantil. Em destaque a pré-eclâmpsia constitui a primeira causa de morte materna no Brasil. Definida como a hipertensão após a vigésima semana de gravidez, concomitante à proteinúria significativa ou disfunções orgânicas resultante de disfunção uteroplacentária, a pré-eclâmpsia é uma síndrome multissistêmica. O espectro de complicações da doença é amplo, tal qual insuficiência hepática, renal e convulsões. Entre as apresentações raras destaca-se o edema vulvar maciço, quadro incomum na gestação, gerando desafio na identificação e conduta por representar possível gravidade e causar desconforto e dor à paciente.

DESCRIÇÃO DO(S) CASO(S) ou da SÉRIE DE CASOS

Em serviço do Hospital Santa Casa de Caridade de Uruguaiana, Rio Grande do Sul, admitiu-se paciente G.S.S., 15 anos, negra, terceira gestação, dois abortos prévios e Idade Gestacional de 34 semanas e 2 dias. Apresentou-se com dor e edema vulvar unilateral doloroso à palpação com pressão arterial de 150 x 120 mmHg. Exames laboratoriais confirmaram proteinúria de 24 horas de 3418,50 mg e hipoalbuminemia. Foram empregadas compressas frias na região do edema e picos pressóricos em internação justificaram a introdução de Hidralazina 5 mL por via parenteral e Metildopa 500 mg via enteral. Ecografia obstétrica pós estabilização materna apontou Restrição de Crescimento Intrauterino, oligohidrâmnio e alterações ao estudo Dopplervelocimétrico indicaram parto por via mais rápida, no caso cesárea. O recém-nascido apresentou boa vitalidade ao nascer com Escala de Apgar 08/09. O edema vulvar em grandes lábios seguiu com cuidados de analgesia, compressas frias e deambulação. A paciente obteve alta em 3 dias com PA 120 x 70 mmHg e melhora do estado geral e edema.

COMENTÁRIOS

A pré-eclâmpsia pode representar grande morbidade e mortalidade ao binômio mãe-feto. Apesar de o edema não ser considerado critério diagnóstico da patologia, quando associado ao aumento de mais de 1 quilo por semana, é indicador de risco. Ademais, o edema vulvar é um achado raramente descrito na literatura, todavia, seu reconhecimento precoce como sinal de alarme em doença hipertensiva da gestação é fundamental para correto manejo de síndrome com o objetivo de diminuição de desfechos desfavoráveis e mau prognóstico, com consequente melhora dos indicadores de saúde no país.

PALAVRA CHAVE

Obstetrícia; Mortalidade Materna; Hipertensão Gestacional.

Área

OBSTETRÍCIA - Obstetrícia Geral

Autores

Ana Carolina Drehmer Santos, Gabriella Marques Monteiro, Rita de Cássia Fossati Silveira Evaldt, Brendha Zancanela Santos, Carolina Menezes Nunes, Ana Elisa Hartmann, Natália Tonn

Adicione na sua agenda: AppleGoogleOffice 365OutlookOutlook.comYahoo