59º Congresso Brasileiro de Ginecologia e Obstetrícia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

AVALIAÇÃO DA FUNÇÃO SEXUAL DE GESTANTES ATENDIDAS EM UMA MATERNIDADE NO SUL DO BRASIL

OBJETIVO

Avaliar a função sexual no terceiro trimestre da gestação de puérperas internadas no alojamento conjunto de uma maternidade de um hospital no sul de Santa Catarina.

MÉTODOS

Estudo observacional com delineamento transversal, com puérperas acima de 18 anos internadas na maternidade do Hospital Nossa Senhora da Conceição (HNSC) no município de Tubarão/SC, no período de setembro a dezembro de 2020. A coleta de dados foi realizada por meio da aplicação de questionário elaborado pelas pesquisadoras composto por dados sociodemográficos, ginecológicos e obstétricos e do instrumento validado Female Sexual Function Index (FSFI) para avaliação da função sexual, composto por seis domínios: desejo, excitação, lubrificação, orgasmo, satisfação e dor. O programa Statistical Package for the Social Sciences versão 21.0 foi utilizado para análise estatística e o teste t de Student para comparar as médias e o nível de significância adotado foi p<0,05.

RESULTADOS

Foram entrevistadas 515 puérperas com média de idade e idade gestacional de 28,29 anos (DP± 6,12) e 38,30 semanas (DP±2,69), respectivamente. Na amostra estudada, 88% realizou seis ou mais consultas no pré-natal e 71,1% não recebeu orientação profissional sobre a sexualidade neste período. Durante a gestação, 62,5% apresentou diminuição do interesse sexual, 47% referiu redução do prazer e 88,8% na frequência das relações sexuais. Ocorreu prevalência de 99,2% de disfunção sexual no terceiro trimestre gestacional, com uma diminuição global em todos os domínios do FSFI. Houve associação entre o domínio “satisfação” do FSFI e a escolaridade (p=0,023), as mulheres com maior tempo de estudo apresentaram maior disfunção, assim como a presença de “medo de ter relação” comprometeu os domínios “desejo”, “lubrificação”, “orgasmo”, “dor” (p<0,001),

CONCLUSÕES

O estudo revelou prevalência de disfunção sexual no último trimestre gestacional, com uma queda significativa nos domínios da função sexual. Além disso, destacou-se a carência na abordagem do assunto pelos profissionais, que poderiam ter um impacto positivo na qualidade da vida sexual dessas mulheres.

PALAVRA CHAVE

Gravidez, Sexualidade, Disfunção Sexual Fisiológica, Comportamento sexual, Prevalência.

Área

GINECOLOGIA - Sexualidade

Autores

Luana Bitencourt Gonçalves, Karol Nunes da Silva, Kelser Koch, Daniela Quedi Willig

Adicione na sua agenda: AppleGoogleOffice 365OutlookOutlook.comYahoo