59º Congresso Brasileiro de Ginecologia e Obstetrícia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

ASSOCIAÇÃO ENTRE COVID-19 NAS GESTANTES E PREMATURIDADE

OBJETIVO

A pandemia causada pela infecção pelo COVID-19 afetou mais de 24 milhões de indivíduos. Estudos ainda são iniciais, por tempo recente de início e incertezas quanto à doença. Apesar da maioria dos estudos se concentrarem na avaliação dos efeitos na população geral, se faz necessário estudar também as gestantes, por se tratarem de grupo de risco. O objetivo do estudo é avaliar associação entre COVID-19 nas gestantes e prematuridade.

FONTE DE DADOS

Revisão bibliográfica referente à associação entre COVID-19 nas gestantes e prematuridade realizada na base PUBMED com a combinação de palavras chaves pelo MESH terms COVID-19 AND Premature Birth AND Pregnancy.

SELEÇÃO DE ESTUDOS

Foram obtidos 42 artigos e selecionados 5 para revisão. Foram incluídas publicações dos últimos 5 anos, metanálises, revisões sistemáticas e estudos clínicos. Após essa etapa, foi realizada a revisão dos 5 artigos.

COLETA DE DADOS

Foram coletados dados que mostrassem associação entre prematuridade e COVID-19 em gestantes e realizada comparação entre os estudos sobre essa associação.

SÍNTESE DE DADOS

Uma metanálise realizada em julho no Brasil não verificou nenhuma associação significativa entre COVID-19, parto prematuro e o peso ao nascer. Entretanto, uma metanálise realizada na China em agosto avaliou diversos estudos clínicos realizados com gestantes confirmadas COVID-19 no mundo e mostrou que a taxa de trabalho de parto prematuro é maior entre as grávidas com a doença, chegando até 44% dentre as pacientes confirmadas, com média de 23% nessa população estudada e 11% em pacientes sem a infecção. A explicação para tal fato justifica-se por ter sido visto que as pacientes com COVID-19 induzem o parto logo após o diagnóstico para prosseguir com tratamento ou optam por um parto precoce por cesárea para evitar um trabalho de parto prolongado, que pode piorar os sintomas da infecção.

CONCLUSÕES

É necessário avaliar os riscos de resultados maternos e neonatais adversos da infecção pelo COVID-19. Os estudos publicados, apesar de limitados ainda, mostram resultados adversos na gravidez, incluindo o parto prematuro. Para uma melhor compreensão sobre tal infecção, deve haver análise de mais casos confirmados entre gestantes.

PALAVRA-CHAVE

COVID-19; Premature Birth; Pregnancy

Área

OBSTETRÍCIA - Obstetrícia Geral

Autores

LEONARDO JOSÉ VIEIRA DE FIGUEIREDO, MARIANE ALBUQUERQUE REIS, MARIAMA SOUSA SALAZAR, MICHELLY NÓBREGA MONTEIRO

Adicione na sua agenda: AppleGoogleOffice 365OutlookOutlook.comYahoo