59º Congresso Brasileiro de Ginecologia e Obstetrícia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DE INTERNAÇÕES E ÓBITOS POR CÂNCER DE COLO UTERINO NO BRASIL ENTRE 2016 E 2020

OBJETIVO

O estudo tem por objetivo analisar as taxas de internação hospitalar e mortalidade decorrente da neoplasia maligna do colo uterino (NMCU) no período de 2016 a 2020 no Brasil e suas regiões, traçando um perfil epidemiológico que considere raça e faixa etária das pacientes. Sendo o terceiro câncer feminino mais prevalente no mundo é de suma importância que sejam analisadas tais variáveis

MÉTODOS

Estudo descritivo e retrospectivo acerca de internação hospitalar e óbitos decorrentes de câncer de colo uterino no Brasil e nas suas respectivas macrorregiões entre os anos de 2016 a 2020. Os dados foram coletados por meio do Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde do Brasil – DATASUS, pela ferramenta TABNET.

RESULTADOS

A partir dos dados analisados, foram registradas 109.724 internações hospitalares por NMCU no Brasil. A região sudeste apresentou o maior número de casos (43.418) e a região centro-oeste o menor (7.880). A raça parda foi responsável por 46.858 (42,7%) internações, branca 46.526 (36,9%), preta 5.485 (4,99%), amarela 1.693 (1,54%) e indígena 151 (0,06%). Tal proporção foi similar na maioria das regiões, exceto no sul e sudeste, as quais apresentaram mais casos entre a raça branca. O período médio de permanência hospitalar foi de 5,7 dias, sendo maior na região norte (7,7) e menor na região sul (4,6). A faixa etária com maior incidência foi de 40 a 49 anos (29.324) e a com menor foi de 1 a 19 anos (236). O total de óbitos por NMCU foi 12.885, sendo a maioria entre 50 a 59 anos (2.980), 23,12% do total. A região sudeste apresentou o maior número absoluto de mortes (5.274) e a região centro-oeste o menor (957). A raça parda apresentou 5.795 óbitos (44,97%), branca 4.237 (32,88%) preta 726 (5,63%), amarela 248 (1,92%) e a indígena 24 óbitos (0,18%). A taxa de mortalidade nacional é de 11,74, sendo maior no norte (16,33) e menor no sul (8,74).

CONCLUSÕES

O estudo infere que a região com mais internações e óbitos por NMCU foi a Sudeste. No conjunto, o acometimento por raça e faixa etária foi semelhante no território Brasileiro. Sobre a permanência hospitalar e taxa de mortalidade, observa-se que regiões menos desenvolvidas, como a norte, apresentam os maiores números; entretanto, em valor absoluto de óbitos, a região sudeste lidera a lista. Ao comparar os pacientes internados aos que foram a óbito, houve variações na distribuição da faixa etária, entretanto, em relação a raça, o padrão segue o mesmo.

PALAVRA CHAVE

Câncer de Colo Uterino, epidemiologia, mortalidade, internação

Área

GINECOLOGIA - Epidemiologia

Autores

Adriana Büchner , Silvane Nenê Portela, Júlia Scarmignani Lumi, Laura Rigon Rinaldi, Valentina Tagliari, Bruna Zanatta de Freitas, Gabriela Büchner , Romulo Nicols Ribeiro

Adicione na sua agenda: AppleGoogleOffice 365OutlookOutlook.comYahoo