59º Congresso Brasileiro de Ginecologia e Obstetrícia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

EMBOLIZAÇÃO DE PSEUDOANEURISMA DE ARTÉRIA UTERINA PÓS CESÁREA

CONTEXTO

A hemorragia pós-parto continua sendo uma das principais causas de mortalidade materna. O pseudoaneurisma da artéria uterina é uma causa rara de hemorragia pós-parto secundária, mas é potencialmente fatal e deve estar entre os diagnósticos diferencias.

DESCRIÇÃO DO(S) CASO(S) ou da SÉRIE DE CASOS

Puérpera, 25 anos, previamente hígida, 3 gestações, 2 partos e 1 cesárea, no seu 9º dia pós cesárea foi admitida na emergência por sangramento intermitente desde o dia da cesárea com piora progressiva do quadro. Os exames laboratoriais (hemoglobina 6 e hematócrito 25%) evidenciaram anemia importante com necessidade de transfusão sanguínea. A ultrassonografia pélvica transvaginal com Doppler evidenciou formação vascular pulsátil em região anexial esquerda, medindo 3,1x 3,3 mm e com fluxo arterial ao Doppler. A arteriografia demonstrou artéria uterina esquerda pérvia com conformação em espiral em região distal e presença de pseudoaneurisma de 2 cm. A equipe da Cirurgia Vascular realizou a cateterização seletiva da artéria uterina esquerda e embolização do pseudoaneurisma. A arteriografia de controle demonstrou oclusão total do pseudoaneurisma. A paciente apresentou boa evolução após o procedimento e recebeu alta para seguimento ambulatorial.

COMENTÁRIOS

O pseudoaneurisma é uma lesão vascular espontânea ou secundária a inflamação, trauma ou infecção local. A incisão uterina estendida e a necessidade de suturas hemostáticas adicionais podem aumentar a chance de danos a parede uterina e configuram fatores de risco para o surgimento. Seu desenvolvimento é raro, mas relatado após cirurgias ginecológicas, cesáreas e curetagens uterinas. Pode ser assintomático ou cursar com hemorragia pós-parto tardia. Normalmente, são descobertos devido à ruptura tardia e hemorragia que pode ser fatal . Pode ser identificado por ultrassonografia, tomografia computadorizada ou angiografia. O tempo médio entre a realização da cesárea e o diagnóstico do pseudoaneurisma é de 28 dias. A embolização transcateter da artéria uterina surgiu como uma técnica altamente eficaz e segura no controle da hemorragia, com boas taxas de hemostasia completa e sem complicações a curto ou longo prazo e permitindo a preservação da função reprodutiva feminina. A cirurgia aberta deve ser a primeira opção em casos agudos e sangramento maciço em que não há tempo de realizar a embolização e dependendo também das circunstâncias de cada instituição. Entretanto, é fundamental lembrar das leões vasculares entre os diagnósticos diferencias de hemorragia pós-parto tardia.

PALAVRA CHAVE

Embolização da Artéria Uterina

Área

OBSTETRÍCIA - Obstetrícia Geral

Autores

Amanda Roepke Tiedje, Mariana Schmidt Vieira, Louise Beni Staudt de Siqueira, Marilin Lehmkuhl De Sa Muller Sens, Jéssica Goedert Pereira, Alberto Trapani Junior, Karine Souza Da Correggio

Adicione na sua agenda: AppleGoogleOffice 365OutlookOutlook.comYahoo