59º Congresso Brasileiro de Ginecologia e Obstetrícia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

CARCINOMA VERRUCOSO VULVAR ASSOCIADO A LÍQUEN ESCLEROSO E CONDILOMA ACUMINADO: RELATO DE CASO

CONTEXTO

Carcinoma verrucoso vulvar (CVV) é uma lesão rara, com poucos casos descritos na literatura, e considerado por alguns autores forma diferenciada do carcinoma escamoso vulvar (CEV). Tem baixo potencial metastático, porém alta morbidade, devido necessidade de ressecções extensas. No passado, CVV era considerado sinônimo do Tumor de Buschke-Lowenstein (TBL) ou condiloma acuminado gigante, lesão associada ao vírus do papiloma humano (HPV). Líquen escleroso (LE) é uma dermatose crônica e está associado a neoplasia intraepitelial vulvar (NIV) e CEV. Há poucos registros da associação CVV e LE e da concomitância de CVV com lesões HPV-associadas.

DESCRIÇÃO DO(S) CASO(S) ou da SÉRIE DE CASOS

Relata-se caso de mulher de 47 anos, menopausada, com prurido crônico e lesão verrucosa extensa em vulva, diagnosticada inicialmente como condiloma acuminado. Foi procedida exérese da lesão e iniciada terapia adjuvante com imiquimode e clobetasol tópicos. Houve recorrência de tumoração, porém dessa vez o diagnóstico histopatológico foi de carcinoma verrucoso vulvar e LE. Realizada excisão com margens e mantido tratamento tópico adjuvante. Paciente evoluiu após seguimento prolongado sem novas lesões.

COMENTÁRIOS

A distinção clínica e histológica entre CVV, condiloma simples e TBL pode ser díficil, porém a literatura atual estabelece-as como entidades diferentes. A relação com HPV, bem estabelecida para TBL, é controversa para CVV, com poucos trabalhos tendo demonstrado a presença de HPV nessas lesões. A associação CVV e LE, como descrito no caso relatado, foi registrada por poucos autores, na forma de alguns relatos de caso; ambas as lesões compartilham achados histopatológicos. A terapêutica para TBL se assemelha à de condilomas comuns (imiquimode, terapias destrutivas, cirúrgicas). Para CVV, não há padrão-ouro estabelecido, sendo a escolha mais comum a excisão com margens com ou sem abordagem linfonodal. O caso relatado se assemelha aos previamente descritos, seja pela dificuldade diagnóstica, quanto pelo comportamento das lesões. O uso de imiquimode em casos de CVV, como foi optado, ainda não havia sido descrito. Há menos de 70 relatos de CVV na literatura; nosso caso contribui para a compreensão da história natural desta patologia e adiciona evidência de associação com LE.

PALAVRA CHAVE

Carcinoma verrucoso vulvar; líquen escleroso; condiloma acuminado; tumor de Buschke-Lowenstein.

Área

GINECOLOGIA - Patologia do Trato Genital Inferior

Autores

Victor Hugo Oliveira Ribeiro, Nilma Antas Neves

Adicione na sua agenda: AppleGoogleOffice 365OutlookOutlook.comYahoo