59º Congresso Brasileiro de Ginecologia e Obstetrícia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

Grau de conhecimento das puérperas em relação ao parto humanizado e as vias de parto

OBJETIVO

Avaliar o grau de conhecimento das puérperas atendidas no serviço público em um hospital de Curitiba em relação ao parto humanizado e as vias de parto.

MÉTODOS

Consiste em um estudo observacional transversal com 300 puérperas, maiores de 18 anos, que realizaram seu parto em um hospital público de Curitiba de 1 de junho de 2020 a 1 de junho de 2021. As puérperas que, após serem convidadas a participar do estudo e esclarecidas quanto à natureza da pesquisa aceitaram e assinaram o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido foram submetidas a uma entrevista com a aplicação de 2 questionários com perguntas fechadas. O primeiro questionário refere-se ao conhecimento da humanização do parto, e possui 3 perguntas, sendo apenas duas respondidas, pois a primeira pergunta exclui uma das perguntas subsequentes. Elas questionam o conhecimento prévio da puérpera e a definição acerca do parto humanizado. O segundo questionário avaliava o conhecimento quanto às vias de parto, e foi adaptado de A. NASIR; AMIR, 2017. Nele contém 12 perguntas, sendo que cada resposta correta pontua 3, incorreta pontua 1, e “não sei” pontua 2. A partir do cálculo da mediana foi definido que somatórias iguais ou acima de 28 significam bom conhecimento, e abaixo desse valor representam um baixo conhecimento. A amostra de 300 puérperas foi definida a partir do método de amostragem de proporções com margem de erro de 5,62% e nível de confiança superior a 90% (p<0,05).

RESULTADOS

Quanto ao grau de conhecimento das puérperas em relação às vias de parto, 45,6% das mulheres (n=137) possuem baixo conhecimento. Em relação ao parto humanizado, das 221 puérperas (73,6%) que afirmaram já terem ouvido falar sobre o tema, 31,6% deram uma definição inadequada ao termo. Das 79 puérperas (26,3%) que nunca haviam ouvido falar, 70,88% se ausentaram da resposta.

CONCLUSÕES

Podemos inferir que aproximadamente metade das puérperas não apresenta bom conhecimento em relação às vias de parto, o que demonstra uma possível falha na assistência pré-natal. Já no que diz respeito ao parto humanizado podemos concluir que, apesar de a maioria das mulheres afirmarem já terem ouvido falar, cerca de um terço dessas deu uma definição inadequada ao termo e por volta de um quarto nunca tinha ouvido falar, evidenciando um desconhecimento importante em relação a humanização do parto que, além de preconizar o nascimento saudável e prevenção da morbimortalidade perinatal, é um direito da gestante.

PALAVRA CHAVE

parto humanizado; cesárea; período pós-parto

Área

OBSTETRÍCIA - Obstetrícia Geral

Autores

Bruna Bialetzki Pauletti , Camila Rodrigues , Heloisa Kugeratski Pierin, Lucas Mori, Maria Fernanda Queiróz Ferreira , Thais Tapparo, Milena Binhame Albini Martini , Marcos Takimura

Adicione na sua agenda: AppleGoogleOffice 365OutlookOutlook.comYahoo