59º Congresso Brasileiro de Ginecologia e Obstetrícia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

MALÁRIA NA GRAVIDEZ - O PANPORAMA DE UM ESTADO DA AMAZÔNIA 2016 A 2021.

OBJETIVO

Verificar a prevalência da doença durante o período gravídico, em um estado da região norte do Brasil no período de 2016 a 2021. Objetivo secundário: verificar o período gestacional do diagnóstico e o tipo de agente mais comum na região.

MÉTODOS

Estudo retrospectivo, descritivo e observacional de abordagem quantitativa. Trata-se de um estudo realizado com dados secundários a partir do banco de dados do portal de informações do Ministério da Saúde e do Sistema de Vigilância Epidemiológica (SIVEP) e notificações de casos. Utilizamos as informações de casos registrados no período de 2016 a 2021 no estado da região norte estudado. As variáveis pesquisadas foram número de casos da capital e do interior por município, número total de casos suspeitos, número total de casos confirmados em grávidas, tipo de agente causador da doença (vivax ou falciparum), idade gestacional do diagnóstico. Com os resultados encontrados foram desenvolvidos tabelas e gráficos na planilha Excel, para melhor visualização.

RESULTADOS

De acordo com o ano de notificação encontramos que em 2016 foram realizados 1219 casos suspeitos e 701 (57,5%) confirmados, 2017 foram 1729 casos suspeitos e 1190 (68,8%) confirmados, 2018 foram 1638 casos suspeitos e 1103 (67,3%) confirmados, 2019 foram 1441 casos suspeitos e 923 (64%) confirmados, em 2020 foram 17605 casos suspeitos e 774 (4,3%) confirmados e em 2021 (até 30/06) foram 8566 casos suspeitos e 314 (3,6%) confirmados. Quanto ao local de ocorrência da doença a grande maioria 84,2% ocorreram nos municípios do estado e 15,8% na capital. O diagnóstico foi mais frequente no segundo trimestre em 2017 (34%) em 2020 (36%) e 2021 (38,5%) e mais frequente no terceiro trimestre em 2016 (33,3%), 2018 (33,6%) e 2019 (33,6%). Quanto ao tipo de infecção, encontramos 4113 (82.6%) por plasmodium vivax, 818 (16,4%) por falciparum e 46 (0,9%) por ambos.

CONCLUSÕES

A Malária é uma doença grave e que ocorre de forma endêmica no norte do Brasil, e representa um grande risco durante a gravidez por suas repercussões nocivas ao desenvolvimento fetal e risco de complicações e mortalidade materna elevada. No estudo, observamos nos últimos dois anos o aumento do número de casos suspeitos da doença, sendo o diagnóstico mais frequente no terceiro trimestre da gravidez e o a forma da doença mais comum está relacionada ao Plasmódium vivax. Dessa forma, faz-se necessário, nas regiões do interior da Amazônia, um olhar cuidadoso á todas ás mulheres grávidas suspeitas para o diagnóstico e tratamento efetivo.

PALAVRA CHAVE

Malária, gravidez, infecção por plasmodium vivax, malária na gravidez.

Área

OBSTETRÍCIA - Epidemiologia

Autores

Patricia Leite Brito, Ana Karolina Amorim Peixoto, Márcio Felipe Freitas, Juan Carlos Silva Sousa, Thaynara Kristina S. Chaves Brito

Adicione na sua agenda: AppleGoogleOffice 365OutlookOutlook.comYahoo