59º Congresso Brasileiro de Ginecologia e Obstetrícia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

Alongamento vaginal e laser na função sexual de mulheres com dor miofascial do assoalho pélvico

OBJETIVO

Avaliar o alongamento vaginal associado ou não ao laser de baixa potência na função sexual e na dispareunia de mulheres com dor miofascial do assoalho pélvico

MÉTODOS

Estudo randomizado, controlado, paralelo e duplo-cego com 103 mulheres com diagnóstico de dor miofascial do assoalho pélvico, realizado entre dezembro de 2018 e 2020. As mulheres foram randomizadas em dois grupos: Grupo Laser, que recebeu 10 sessões, duas vezes por semana, de alongamento vaginal e aplicação de laser (100mW de potência, luz infravermelha próxima - 808nm, 4 joules de energia em 3 pontos) e Grupo Alongamento Vaginal, que recebeu o mesmo protocolo, porém com o aparelho de laser desligado. Foram avaliados: o número de mulheres com queixa de dispareunia, a gravidade deste sintoma medida pela escala visual analógica e a função sexual medida pelo questionário validado Indíce de Função Sexual Feminina, no início e após 10 sessões de tratamento. Para análise estatística, foi utilizado o teste de qui-quadrado, exato de Fischer, Mc Nemar e Bowker. Variáveis sem distribuição normal foram avaliadas pelo teste de Mann-Whitney. Para avaliar a interação entre os grupos de tratamento e o tempo foi utilizada a análise de variância, ajustada para o estado menopausal pela ANCOVA

RESULTADOS

Após o tratamento, foi observada uma redução significativa no número de mulheres que apresentaram queixa de dispareunia no grupo laser (90,2% para 55%, p = 0,001) e no grupo alongamento vaginal (86,6% para 46,2%, p <0,001) e no escore de dispareunia pela escala visual analógica (p <0,001) em ambos os grupos. O grupo laser mostrou uma redução significativa na disfunção sexual (92,2% para 74,5%, p = 0,003) e no grupo alongamento vaginal (90,4% para 76,9%, p = 0,035). Ambos os grupos tiveram melhora no domínio de dor do questionário após o tratamento (p <0,001). Apenas o grupo Alongamento Vaginal teve uma melhora significativa no domínio desejo e na pontuação total do questionário de função sexual (p <0,001) após o tratamento.

CONCLUSÕES

O alongamento vaginal foi eficaz na redução do número de mulheres com disfunção sexual e dispareunia, além de reduzir a gravidade desse sintoma em mulheres com dor miofascial do assoalho pélvico. Porém, a associação do laser de baixa potência ao alongamento vaginal não trouxe benefícios adicionais na função sexual destas mulheres.

PALAVRA CHAVE

sexualidade, dispareunia, dor miofascial, assoalho pélvico, alongamento vaginal, laser baixa potência

Área

GINECOLOGIA - Sexualidade

Autores

Claudia Pignatti Frederice, Luiz Gustavo Oliveira Brito, Cássia Raquel Teatin Juliato

Adicione na sua agenda: AppleGoogleOffice 365OutlookOutlook.comYahoo