59º Congresso Brasileiro de Ginecologia e Obstetrícia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

EFEITO DA PANDEMIA PELA COVID-19 NA QUALIDADE DO SONO EM PACIENTES COM PCOS

OBJETIVO

O presente estudo tem como objetivo a avaliação do impacto da pandemia da COVID 19 na qualidade do sono de mulheres com Síndrome dos Ovários Policísticos (PCOS).

MÉTODOS

Estudo transversal comparativo realizado com 29 pacientes do Ambulatório de Ginecologia do Hospital São Vicente de Paulo (HSVP), Passo Fundo/RS, no período de dezembro de 2017 até julho de 2021, com questionários realizados em duas ocasiões diferentes, a primeira presencialmente e anterior à pandemia da COVID 19 e a segunda por meio de conversa telefônica de maio a julho de 2021. Foram incluídas no estudo pacientes com diagnóstico de PCOS pelos critérios de Rotterdam com todos os 3 questionários aplicados anteriormente à pandemia do coronavírus. Das 29 pacientes 8 foram excluídas por impossibilidade de contato pelo telefone disponibilizado, e uma por gestação atual. Em 20 pacientes os questionários foram reaplicados. Verificou-se idade em anos anterior e atual; peso em Kg e altura em cm aferidos anterior e autorreferidos atual; e índice de massa corporal (IMC) em Kg/m². Para a análise do sono foram aplicados 3 questionários validados no Brasil em ambos os contatos com as pacientes: o questionário de Berlim avalia o risco de apneia obstrutiva (AOS), classificando-o em alto e baixo risco, a Escala de sonolência de Epworth avalia o grau de sonolência excessiva diurna e o Índice de qualidade do sono de Pittsburgh avalia a qualidade do sono, analisado de forma dicotômica em boa e má qualidade. Para as análises utilizou-se o pacote estatístico SPSS versão 18.0.Nas estatísticas descritivas foram utilizadas média, desvio padrão; frequência absoluta e percentual para as variáveis categóricas. Utilizou-se o teste de normalidade de Shapiro-Wilkpara, o teste emparelhadode McNemar e o teste não-paramétrico de Wilcoxon para medidas emparelhadas.Considerou-se significativo um alfa ≤ a 5% e um intervalo de confiança de 95%.

RESULTADOS

Não houve diferença significativa no IMC comparando-se a pré e pós pandemia(p=0,07). Identificou-se pelo questionário de Berlim no pré pandemia 5 pacientes (25%) com alto risco de AOS, e no pós pandemia, 14 pacientes (70%), (p=0,004). Pré pandemia, 3 pacientes (15%) apresentaram sonolência diurna excessiva pela Escala de Epworth, e 10 pacientes (50%) no pós pandemia, (p=0,016). Não houve diferença significativa no Índice de Pittsburgh na pré e pós pandemia.

CONCLUSÕES

Para as pacientes com PCOS a pandemia da COVID-19 associou-se ao aumento da sonolência diurna excessiva e ao alto risco de AOS.

PALAVRA CHAVE

Síndrome dos Ovários Policísticos. Qualidade do sono. Apneia do sono

Área

GINECOLOGIA - Endocrinologia Ginecológica

Autores

Laís Restel Weber, Laura Rigon Rinaldi, Rafaela Link, Maria Elisa Franciscatto, Raquel Wohlenberg, Karen Oppermann

Adicione na sua agenda: AppleGoogleOffice 365OutlookOutlook.comYahoo