59º Congresso Brasileiro de Ginecologia e Obstetrícia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

O manejo conservador da LIEAG em mulheres com menos de 30 anos é seguro

OBJETIVO

Este estudo tem como objetivo avaliar os desfechos do manejo conservador em mulheres jovens com LIEAG.

MÉTODOS

Trata-se de um estudo de coorte retrospectivo que incluiu todas as pacientes com menos de 30 anos encaminhadas com LIEAG para o Hospital da Mulher – CAISM/Unicamp de 2012 a 2019, quando o manejo conservador foi adotado. O diagnóstico de LIEAG foi definido quando a paciente apresentava esse resultado em citologia ou biópsia. A regressão foi definida quando nenhuma evidência de LIEAG (citologia ou biópsia) foi observada em pelo menos dois exames consecutivos. Foram utilizados os testes Qui-Quadrado ou Fischer, Mann-Whitney e regressão de COX. CAAE: 93602418.4.0000.5404.

RESULTADOS

Durante o período do estudo, 89 pacientes com LIEAG na admissão foram manejadas de forma conservadora. Nenhuma progressão para câncer micro-invasivo ou invasivo foi observada. Sessenta e uma (69%) tinham menos de 25 anos e 28 (31%) tinham entre 25 e 30 anos. Regressão espontânea foi observada em 64 (72%) e persistência em 25 (28%). O tempo médio para a regressão foi de 15,4 meses (DP 7,7), e o tempo médio de seguimento de 31,6 meses (DP 19,0). Idade, paridade, idade da primeira relação sexual, tabagismo, contracepção hormonal e impressão colposcópica na admissão não diferiram entre as mulheres que apresentaram regressão ou persistência como desfecho. As taxas de regressão foram respectivamente de 28,9%, 60,2% e 78,1% após 12, 18 e 24 meses de manejo conservador. A maioria dos eventos ocorreu entre 12 e 18 meses de seguimento.

CONCLUSÕES

O manejo conservador em mulheres com menos de 30 anos é seguro: regressão espontânea foi observada em 70% das mulheres com menos de 30 anos com LIEAG manejada conservadoramente. A maioria dos eventos aconteceu entre 12 e 18 meses de acompanhamento. Nenhuma variável clínica influenciou a regressão.

PALAVRA CHAVE

Lesão Intra-epitelial de Alto Grau
Papillomavírus Humano
Câncer do Colo do Útero
Mulheres Jovens

Área

GINECOLOGIA - Patologia do Trato Genital Inferior

Autores

Mariana K Bonas, Hisa M Videira, Lucas A Cavalcante, Michelle G Discacciati, Mariana M Camargo, Julio C Teixeira, Diama B Vale

Adicione na sua agenda: AppleGoogleOffice 365OutlookOutlook.comYahoo