59º Congresso Brasileiro de Ginecologia e Obstetrícia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

Avaliação da massa magra e gordura corporal em mulheres transgênero do Sul do Brasil

OBJETIVO

Avaliar a massa magra e gordura corporal de mulheres transgênero (MT) brasileiras submetidas a terapia hormonal cruzada (THC) por 3 anos ou mais, comparando com grupos controle pareados, um de mulheres cisgênero (MC) e um de homens cisgênero (HC).

MÉTODOS

Realizou-se um estudo observacional transversal, por meio da coleta de dados sociodemográficos, epidemiológicos e clínicos. O estudo foi realizado na cidade de Curitiba, no período de agosto de 2018 a agosto de 2019. Após recrutamento e aplicação dos critérios de inclusão e exclusão, 31 MT atendidas no Centro de Pesquisa e Atendimento a Travestis e Transexuais (CPATT) e no Centro Regional de Especialidades (CRE) da Secretaria de Saúde do estado do Paraná aceitaram participar do estudo e assinaram o termo de consentimento livre e esclarecido. Selecionaram-se dois grupos controle pareados por idade, índice de massa corporal (IMC) e hábitos de vida, com 31 MC e 31 HC, totalizando 93 participantes. Os dados foram analisados com auxílio do programa GraphPad Prism 6, San Diego, CA.

RESULTADOS

A porcentagem média de gordura: em braços em MT (30,15 ± 7,41) foi menor que em MC (41,30 ± 7,645), (p<0,0001), e maior que em HC (22,43 ± 8,492); em pernas em MT (32,73 ± 9,73) foi menor que em MC (42,39 ± 5,75), (p<0,0001), e maior que em HC (27,42 ± 7,24); em tronco em MT (31,25 ± 9,47) foi menor que em MC (40,78 ± 6,78), (p<0,0001), e maior que em HC (30,25 ± 10,34); ginóide em MT (32,79 ± 11,10) foi menor que em MC (45,16 ± 6,142), (p<0,0001), e maior que em HC (28,54 ± 9,00); andróide em MT (32,39 ± 11,49) foi menor que em MC (42,05 ± 9,99) e ligeiramente maior que em HC (32,01 ± 12,95).

A quantidade média de massa magra (gramas) em: braços em MT (5938 ± 978,1) foi maior que em MC (4508 ± 650,3), (p<0,0001), e menor que em HC (7592 ± 1294); pernas em MT (17543 ± 3727) foi maior que em MC (14574 ± 2019) e menor que em HC (18430 ± 2864); tronco em MT (23503) foi maior que em MC (19712), (p<0,0001), e menor que em HC (26933); região andróide em MT (3433 ± 533,3) foi maior que em MC (2834 ± 349,8), (p<0,0001), e menor que em HC (3904 ± 515,7); região ginóide em MT (7675) foi maior que em MC (6420), (p<0,0001), e menor que em HC (8774 ± 1314).

CONCLUSÕES

MT submetidas a 3 anos ou mais de THC apresentaram maior porcentagem média de gordura quando comparadas a HC e menores do que MC. A quantidade de massa magra de MT foi menor do que a de HC, mas significativamente maior do que em MC.

PALAVRA CHAVE

Mulher Transgênero; Distribuição da Gordura Corporal; Terapia Hormonal; Composição Corporal

Área

GINECOLOGIA - Endocrinologia Ginecológica

Autores

Kadija Rahal Chrisostomo, Najila De Marco Sandrin, Henrique Rahal Chrisostomo, Thelma Larocca Skare, Renato Mitsunori Nisihara

Adicione na sua agenda: AppleGoogleOffice 365OutlookOutlook.comYahoo