59º Congresso Brasileiro de Ginecologia e Obstetrícia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

GESTAÇÃO HETEROTÓPICA NÃO RELACIONADA À REPRODUÇÃO ASSISTIDA: RELATO DE UM CASO

CONTEXTO

Gestação heterotópica é uma condição de saúde em que há simultaneamente gestação tópica e ectópica. Apesar de ser rara em gestações espontâneas, o advento de técnicas de reprodução assistida promoveu elevação da ocorrência deste achado. Entretanto, geralmente o diagnóstico se dá apenas quando há sintomatologia clínica.

DESCRIÇÃO DO(S) CASO(S) ou da SÉRIE DE CASOS

Paciente, 32 anos de idade, G3P2A0, com 7 semanas de idade gestacional de uma gestação espontânea, foi admitida no serviço queixando-se de dor abdominal e vômitos há dois dias. Ao exame físico: prostrada, taquicárdica, descorada, abdome semigloboso, tenso, doloroso difusamente à palpação profunda, com descompressão brusca dolorosa em fossa ilíaca direita. À ultrassonografia foi constatada presença de líquido livre no espaço hepatorrenal e em fundo de saco pélvico, útero gravídico com saco gestacional tópico contendo embrião único e vivo e anexos uterinos aparentemente sem alterações relevantes. Foi solicitada avaliação complementar com tomografia computadorizada de abdome total sem contraste que demonstrou presença de líquido de densidade compatível com sangue em cavidade abdominal. Realizou-se videolaparoscopia diagnóstica, evidenciando presença de grande quantidade de sangue na pelve e trompa uterina direita sangrante de aspecto anatômico distinto do habitual. Foi realizada ressecção da trompa uterina direita por via laparoscópica. Após o laudo histopatológico da tuba uterina confirmou-se a gravidez ectópica rota. A paciente manteve-se estável clinicamente, tendo alta no nono dia de internação. Ultrassonografia antes da alta evidenciou embrião tópico com vitalidade preservada.

COMENTÁRIOS

As gestações heterotópicas na maioria das vezes estão associadas às técnicas de reprodução assistida, que aumentaram a incidência desses eventos de 1 caso em 30.000 gestações para 1 a cada 3.900. O caso relatado, entretanto, trata-se de uma usuária de serviço público de saúde que engravidou espontaneamente. Mesmo com o aumento da frequência de gestações heterotópicas, o diagnóstico ainda é dificultoso, uma vez que a dosagem de βhCG não possui utilidade diagnóstica, por conta da gestação tópica concomitante. A ultrassonografia pode sugerir fortemente o diagnóstico em metade dos casos, mas outros só serão diagnosticados no exame laparoscópico. Sendo assim, casos como este resgatam a necessidade de suspeitar de uma gestação ectópica mesmo em vigência de gravidez tópica espontânea.

PALAVRA CHAVE

GESTAÇÃO HETEROTÓPICA ; GESTAÇÃO ECTOPICA ; VIDEOLAPAROSCOPIA

Área

OBSTETRÍCIA - Gestação de Alto Risco

Autores

KAMILLA MONTEIRO PLACIDO, MANOEL CALHEIROS SILVA , MARINA PRESMICH PONTUAL , JOAO GUILHERME LIRA ACIOLE , MARCEL ARTHUR CAVALCANTE GONÇALVES, ISABELA KARINE RODRIGUES AGRA

Adicione na sua agenda: AppleGoogleOffice 365OutlookOutlook.comYahoo