59º Congresso Brasileiro de Ginecologia e Obstetrícia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

LEIOMIOMA UTERINO MIXOIDE: RELATO DE CASO

CONTEXTO

O leiomioma uterino é o tumor pélvico sólido mais frequente do trato genital feminino. Acomete entre 20 e 30% das mulheres em idade fértil, sendo sintomático em 50% dos casos. A grande maioria das lesões apresentam um nódulo circunscrito, facilmente enucleável, porém os Leiomiomas Mixoides caracterizam-se por apresentar variações degenerativas, com formações císticas em alguns casos.

DESCRIÇÃO DO(S) CASO(S) ou da SÉRIE DE CASOS

Paciente de 44 anos, sexo feminino, procura consultório ginecológico para consulta de rotina e refere ciclos menstruais frequentes com sangramento aumentado. Relata ligadura tubária, nega uso de anticoncepcional oral, última menstruação dia 01/01/2021, G2C2 e nega uso de medicações contínuas. Histórico de tromboflebite há 1 ano. Realizada ecografia transvaginal que demonstrou útero retroverso, medindo 10,6 x 5,3 x 4,9cm (144 cm³), ecotextura parenquimatosa heterogênea sugestiva de leiomiomatose e/ou adenomiose; endométrio com espessura de 6,1mm; massa sólida heterogênea de 12cm de diâmetro em região anexial direita, provavelmente relacionada ao ovário; ovário esquerdo:1,7 x 1,5cm, de contorno e aspecto normais. Seguimento da investigação com ressonância magnética, apresentando útero de dimensões aumentadas e volumosa lesão expansiva com origem na parede corporal uterina anterior, de etiologia indeterminada, suspeita de leiomioma com degeneração mixoide ou leiomiossarcoma uterino, lesão liomiomatosa intramural e lesão polipoide endometrial. Solicitado CA-125, com resultado de 29,4. Realizada avaliação endometrial a partir de curetagem uterina (anátomopatológico evidenciou pólipo endometrial). Segunda etapa cirúrgica realizada com histerectomia abdominal subtotal + ooforectomia bilateral, na qual foi encontrada grande massa ligada ao corpo uterino com muitas aderências; encaminhada para patologia. O anátomo-patólogico apresentou achados morfológicos que favorecem o diagnóstico de leiomioma hidrópico/mixoide e adenomiose no corpo uterino; ovários com folículos císticos; tuba uterina direita com endometriose e tuba esquerda com restos embrionários de gartner.

COMENTÁRIOS

A degeneração mixóide de extensas áreas musculares encontrada nesse tipo de lesão pode, por vezes, dificultar a caracterização de uma neoplasia. Assim, o anatomopatológico é de fundamental importância para a procura de possíveis aspectos de malignidade, como infiltrações e atipias, a fim de descartar o possível diagnóstico diferencial de doença maligna, como no caso relatado.

PALAVRA CHAVE

leiomioma mixoide, cirurgia ginecológica, histerectomia

Área

GINECOLOGIA - Cirurgia Ginecológica

Autores

Adriana Buchner , Caroline Possamai Rovadoscki, Grazieli Sassi, Susan Marie Cargnelutti Maffini, Silvane Nene Portela, Barbara Diel Klein, Amanda Barboza da Silveira

Adicione na sua agenda: AppleGoogleOffice 365OutlookOutlook.comYahoo