59º Congresso Brasileiro de Ginecologia e Obstetrícia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

MASTITE GRANULOMATOSA IDIOPÁTICA: RELATO DE CASO

CONTEXTO

A mastite granulomatosa idiopática (MGI) é uma doença inflamatória crônica rara, benigna, cuja etiologia é desconhecida. Acomete principalmente mulheres entre 20 e 50 anos, não havendo predisposição étnica para tal patologia. O envolvimento bilateral das mamas é incomum. O diagnóstico histopatológico é necessário para diferenciar a MGI do carcinoma mamário.

DESCRIÇÃO DO(S) CASO(S) ou da SÉRIE DE CASOS

Paciente do sexo feminino, 33 anos, consultou na Unidade Básica de Saúde, apresentando mastalgia e edema na mama direita. Negava trauma bem como história familiar para neoplasia de mama. Teve uma gestação há dois anos e amamentou por 5 meses. Iniciou tratamento com cefalexina 500 mg de 12/12 horas por 7 dias. Foi encaminhada ao ambulatório de mastologia, após duas semanas, com queixa de dor persistente e pouca melhora do quadro. Ao exame físico, apresentava espessamento volumoso, nos quadrantes externos da mama direita, com cerca de 10x9 cm, com leve alteração na coloração da pele no local. Afebril. Não foram observados derrame papilar e linfonodomegalia axilar. Após duas semanas e uso de ciprofloxacina, o quadro clínico melhorou, mas persistia o espessamento local com menores dimensões. Para exclusão de malignidade, foi realizada biópsia com agulha grossa e o resultado anatomopatológico mostrou células gigantes, neutrófilos, granulomas não caseosos e fibrose, resultado compatível com mastite granulomatosa. Posteriormente, evoluiu com eritema no quadrante inferior da mama com calor local. Iniciou tratamento com metronidazol 500 mg de 12/12 horas por 10 dias. Não houve resposta, o eritema aumentou e surgiu flutuação. Em sequência, foi realizada drenagem do abscesso e coleta de material, cujo resultado da cultura foi negativo. Houve necessidade de nova drenagem de abscesso após alguns dias em região adjacente a da primeira drenagem. Outros 2 resultados de cultura negativos. A melhora do quadro só ocorreu após uso de sulfametoxazol + trimetropina e uso de corticoterapia.

COMENTÁRIOS

Não existe tratamento padronizado para essa enfermidade devido à sua etiologia incerta. A gravidez e a gestação recentes podem ser auxiliares do processo de desenvolvimento da doença. O conhecimento da MGI é relevante uma vez que faz parte do diagnóstico diferencial de carcinoma mamário.

PALAVRA CHAVE

Mastite granulomatosa; diagnóstico diferencial de carcinoma mamário;

Área

GINECOLOGIA - Mastologia

Autores

Isabela Klett Michel , Gilberto Henrique Schwerz Michel

Adicione na sua agenda: AppleGoogleOffice 365OutlookOutlook.comYahoo