59º Congresso Brasileiro de Ginecologia e Obstetrícia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

ANEMIA FETAL GRAVE SECUNDÁRIA A HEMORRAGIA FETO-MATERNA

CONTEXTO

A hemorragia feto-materna (HFM) consiste na transferência de sangue fetal para a circulação materna. A grande maioria são sangramentos de pequeno volume sem significado hemodinâmico, mas podem levar à aloimunização. É considerada grave quando há transferência de mais de 30ml de sangue fetal.

DESCRIÇÃO DO(S) CASO(S) ou da SÉRIE DE CASOS

Gestante, 28 anos, secundigesta, 1 aborto, tipagem sanguínea O e fator Rh positivo, sem intercorrências no pré-natal. Admitida com 39 semanas devido a pródromos de trabalho de parto e realizada cardiotocografia (CTG) categoria 1, sendo liberada após exame. Retornou 5 horas após em trabalho de parto em fase ativa e CTG da readmissão com padrão sinusoidal, categoria 3. Diante da hipótese de sofrimento fetal provavelmente associado a anemia fetal, foi realizada cesariana. Nasceu recém-nascido do sexo masculino, pesou 3345g, índice de Apgar de 6 ao 1º minuto e 7 ao 5º minuto, com necessidade de ventilação com pressão positiva e transferência para UTI neonatal onde permaneceu internado por 4 dias devido a anemia grave (hemoglobina ao nascer de 4.8g/dl, necessitando de uma transfusão sanguínea. A Tipagem sanguínea do RN O e fator Rh positivo, com teste de Coombs direto negativo. O estudo de infecções virais (Citomegalovírus e Parvovírus B19) foram negativos. O teste de Kleihauer-Betke na mãe foi positivo confirmando o diagnóstico de HFM. O RN e a mãe receberam alta hospitalar após boa evolução.

COMENTÁRIOS

A HFM espontânea é definida como sangramento feto-materno sem história prévia de trauma e descolamento de placenta. A grande maioria são sangramentos de pequeno volume sem significado hemodinâmico, mas que podem levar à aloimunização. Ocorrem em 0,02 a 1,7% das gestações. Pode se manifestar através de padrões anormais de frequência cardíaca fetal (FCF), diminuição do movimento fetal e/ou hidropsia. O padrão de FCF sinusoidal na CTG está fortemente associada à anemia fetal grave de qualquer causa e pode ser uma das primeiras manifestações de HFM maciça. No entanto, a HFM grave pode não ser clinicamente evidente e tornar-se suspeita quando é feito o diagnóstico de anemia neonatal. A frequência e o volume desses tipo de sangramento aumenta com o avanço da idade gestacional e são mais elevados no parto. No caso clínico descrito a HFM surgiu numa gestação sem qualquer fator aparente. A suspeita clínica deste evento, perante os achados cardiotocográficos, seguida da interrupção da gestação, foram determinantes para o melhor desfecho perinatal.

PALAVRA CHAVE

Transfusão Feto-Materna

Área

OBSTETRÍCIA - Gestação de Alto Risco

Autores

Marilin Lehmkuhl De Sa Muller Sens, Amanda Roepke Tiedje, Mariana Schmidt Vieira, Louise Beni Staudt de Siqueira, Jéssica Goedert Pereira , Otto Henrique May Feuerschuette , Alberto Trapani Junior

Adicione na sua agenda: AppleGoogleOffice 365OutlookOutlook.comYahoo