59º Congresso Brasileiro de Ginecologia e Obstetrícia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

PERFIL DAS INTERNAÇÕES POR HEMORRAGIA PÓS-PARTO NO BRASIL E REGIÕES

OBJETIVO

A hemorragia pós-parto (HPP) é a principal causa de morbimortalidade materna no mundo. O presente estudo objetiva analisar e traçar um perfil de internações decorrentes desta patologia no Brasil (BR) e suas regiões, no período de 2016 a 2020.

MÉTODOS

Estudo descritivo e retrospectivo acerca das internações decorrentes de HPP no BR e suas respectivas macrorregiões entre os anos de 2016 e 2020. Os dados foram coletados através do Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde do Brasil – DATASUS, pela ferramenta TABNET. Tratando-se de um estudo com banco de dados público, não foi necessário aprovação do Comitê de Ética em Pesquisa.

RESULTADOS

De acordo com os dados analisados, foram registradas no BR 12.607 internações por HPP no período 2016-2020. A região sudeste concentrou maior número de casos (n=5.054) e a região centro-oeste o menor (n=766). A média de permanência no regime de internação hospitalar foi de 2,8 dias, sendo a região centro-oeste aquela com maior média (3,3 dias) e a região sul com a menor (2,3 dias). Em relação ao caráter das internações, 12.287 (97,46%) tiveram caráter de urgência e 320 (2,53%) foram eletivas. A faixa etária com maior incidência foi a de 20-29 anos (n=5.827), seguida pela faixa dos 30-39 anos (n=4.071). A taxa de mortalidade no Brasil foi de 1,05, com maior taxa na região centro-oeste (2,09) e menor na região nordeste (0,80). Quando analisada de acordo com a faixa etária, a taxa de mortalidade foi maior entre pacientes de 40-49 anos (3,03), seguida pela faixa dos 30-39 anos (1,55).

CONCLUSÕES

A partir do exposto, é possível inferir que a HPP foi responsável por significativo número de internações no BR no período 2016-2020, tendo quase totalidade dos casos caráter de urgência. Apesar de a região centro-oeste ter o menor número absoluto de casos, esta teve maior média de dias de internação e taxa de mortalidade. No que diz respeito a idade materna, não se demonstrou correlação direta entre aumento desta e maior número de casos. No entanto, a taxa de mortalidade foi diretamente proporcional ao aumento da idade, o que demonstra que idade materna avançada pode levar a piores desfechos na HPP. Além disso, observou-se acréscimo de internações na faixa etária entre 30-39 anos quando comparado ao período 2010-2015, o que pode decorrer do aumento conhecido do número de gestações em idades postergadas.


PALAVRA CHAVE

Hemorragia Pós-Parto

Área

OBSTETRÍCIA - Epidemiologia

Autores

Laura Rigon Rinaldi, Adriana Buchner, Bruna Zanatta De Freitas, Júlia Scarmignani Lumi, Valentina Tagliari, Laís Restel Weber, Laura Pagiarin Skonieski, Silvane Nenê Portela

Adicione na sua agenda: AppleGoogleOffice 365OutlookOutlook.comYahoo