59º Congresso Brasileiro de Ginecologia e Obstetrícia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

DISSECÇÃO ESPONTÂNEA DA ARTÉRIA CORONÁRIA EM GESTAÇÃO GEMELAR NO TERCEIRO TRIMESTRE: RELATO DE CASO

CONTEXTO

Infarto agudo do miocárdio ocorre em 6 a cada 100 mil gestações e a principal causa, no ciclo gravídico puerperal, é a dissecção espontânea da artéria coronária (DEAC). Trata-se de um evento comumente subdiagnosticado, com pouca literatura disponível e elevado índice de morbimortalidade fetal e materno

DESCRIÇÃO DO(S) CASO(S) ou da SÉRIE DE CASOS

Gestante, sem comorbidades prévias, de 36 semanas de gravidez gemelar, monocoriônica-diamniótica, com dor torácica aguda associada à cefaleia, parestesia de membro superior esquerdo e sudorese. Foi diagnosticada com infarto agudo do miocárdio através do supradesnivelamento de ST em eletrocardiograma e alteração de enzimas cardíacas. A angiografia evidenciou extensa dissecção, desde o óstio do tronco da artéria coronária esquerda até o segmento descendente anterior e artéria circunflexa, o que inviabilizou a revascularização percutânea. Os fetos estavam ativos à cardiotocografia e vitalidade preservada na ultrassonografia. As equipes de cirurgia cardíaca e obstetrícia optaram pela realização de parto cesariano e histerectomia subtotal, seguida da revascularização da artéria mamária–descendente anterior, considerando evolução cardíaca desfavorável na alternativa de manutenção da gravidez. Paciente apresentou boa recuperação, recebendo alta no 7o dia de pós operatório, havendo desfecho neonatal e materno favorável após extrema complexidade.

COMENTÁRIOS

O pleno conhecimento das alterações hemodinâmicas do período gravídico-puerperal é fundamental para adequada assistência pré natal, prontidão no diagnóstico e manejo adequado da DEAC. Devido à literatura escassa e raridade desta condição, ainda é discutível qual conduta obstétrica deve ser tomada visando os desfechos materno e fetal favoráveis. Demonstrou-se nesse relato, com base no conhecimento dos mecanismos fisiológicos da gestação, do trabalho de parto, do puerpério e no conhecimento de efeitos adversos farmacológicos, em que a histerectomia subsequente ao parto cesariano é uma opção pertinente a ser considerada.

PALAVRA CHAVE

dissecção artéria coronária; síndrome coronariana aguda; infarto do miocárdio; gravidez; gravidez múltipla

Área

OBSTETRÍCIA - Multidisciplinar

Autores

Andrea Danielle Santanna dos Santos, Aline Estefanes Eras Yonamine, Gabriela Colasuonno Santos, Thaís Gigliotti Malheiros Luzo, Maria Angélica Vilarinho Rossi, Lucas Eiti Nishizawa

Adicione na sua agenda: AppleGoogleOffice 365OutlookOutlook.comYahoo