59º Congresso Brasileiro de Ginecologia e Obstetrícia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

ESTUDO EPIDEMIOLÓGICO DA NATALIDADE DOCUMENTADA NO DISTRITO FEDERAL ENTRE OS ANOS DE 2000 E 2019

OBJETIVO

Analisar a evolução da natalidade registrada no Distrito Federal entre 2000 e 2019.

MÉTODOS

Trata-se de um estudo epidemiológico de corte transversal, executado no Distrito Federal entre os anos de 2000 e 2019, sobre o número de nascidos vivos. A amostra investigada foi obtida através do Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (DATASUS).

RESULTADOS

No período pesquisado, foram documentados 896.754 nascidos vivos no Distrito Federal. A redução da taxa de natalidade para cada grupo de mil habitantes foi de 41,08% entre 2000 (22,76) e 2019 (13,41). Já o número de nascidos vivos no Distrito Federal no ano de 2019 (42.422 nascimentos) foi 11,60% menor que o registrado em 2000 (47.991 nascimentos). Dessa forma, apresentando redução maior que a documentada no Brasil (11,15%) no mesmo período. Com relação ao número de nascimentos por cor/raça, observou-se que os pardos (46,28%) apresentaram a maior prevalência. O sexo masculino foi discretamente mais frequente, correspondendo a 51,13% do total de nascidos vivos nesse período. O perfil das mães do Distrito Federal é: mulher de 20 a 29 anos (50,69%), solteira (46,07%) e com escolaridade entre 8 a 11 anos (45,46%). Já o perfil da gestação e parto é: duração da gestação entre 37 a 41 semanas (87,68%), número de consultas pré-natal entre 7 ou mais (61,83%), gravidez única (97,64%) e parto cesáreo (50,23%). A taxa de natalidade para cada grupo de mil habitantes registrada no Distrito Federal em 2019 (13,41) ficou próxima da documentada nacionalmente (13,52) no mesmo período.

CONCLUSÕES

Por meio dos resultados evidenciados, constata-se que em 20 anos a taxa de natalidade para cada grupo de mil habitantes no Distrito Federal se reduziu a quase a metade. Isso corrobora com as projeções feitas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de que até 2050 a taxa de natalidade bruta no Distrito Federal será de 9,32, ou seja, menor que a de taxa de mortalidade 9,44. Com isso, gerando impactos socioeconômicos semelhantes aos de países desenvolvidos, a exemplo, o Japão.

PALAVRA CHAVE

Taxa de natalidade; Nascidos vivos; Distrito Federal

Área

OBSTETRÍCIA - Epidemiologia

Autores

Filipe Alves Ramos , Ana Carolina Moreira Ramiro

Adicione na sua agenda: AppleGoogleOffice 365OutlookOutlook.comYahoo