59º Congresso Brasileiro de Ginecologia e Obstetrícia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

Perfil das vítimas de violência sexual atendidas em um serviço de referência do Nordeste do Brasil

OBJETIVO

Analisar as características sociodemográficas de vítimas de violência sexual, bem como o local de ocorrência, o tipo de violência sofrida e o seguimento desses pacientes no atendimento especializado

MÉTODOS

Análise descritiva, quantitativa e retrospectiva, baseada no resgate de dados epidemiológicos da ficha de notificação/investigação individual de violência doméstica, sexual e/ou outras violências interpessoais do Sistema de Informação de Agravos de Notificação. Foram selecionados os casos de violência sexual de indivíduos que buscaram atendimento, no período de janeiro de 2019 a maio de 2021, em um serviço de referência de uma capital do Nordeste

RESULTADOS

Foram verificados 428 casos de violência sexual, em que idade mínima foi de 1 ano, a máxima de 74 anos e a média de idades de 17, 77 anos, no total, 231 eram menores de 18 anos. Destas vítimas, a maioria 99,06% (424) são do sexo feminino e 308 indivíduos se autodeclaram pardos. É relevante indicar o número de gestações, entre as mulheres, decorrentes dos episódios, assim, 104 se encontravam no primeiro trimestre de gravidez, 43 no segundo, 64 no terceiro e 11 com idade gestacional não identificada. Além disso, segundo os dados da ocorrência, 37,15% (159) estão associados à violência física e 44,16% (189) à violência psicológica e moral. Ademais, a violência ocorreu em 68,93% dos casos no local de residência, seguida de 16,59% em creche e 8,88% em instituição de longa permanência. Destaca-se que 49,53% (212) dos casos são de recorrência. Ainda, algumas relataram situação de relação consensual, dentre elas, foram identificadas 23 ocorrências, 1 caso inclui menina de 10 anos, 9 casos incluem meninas de 12 anos e 13 casos, meninas de 13 anos. A respeito dos procedimentos indicados no atendimento, houve 60 mulheres com aborto previsto em lei, 85 indicadas à contracepção de Emergência e 89 com indicação para profilaxia de ISTs

CONCLUSÕES

As vítimas de violência sexual são, em sua maioria, do sexo feminino, menores de idade, vulneráveis a agressão física e a agressão psicológica e estão expostas à recorrência dos episódios supracitados. A demora para o acesso ao serviço de saúde é prejudicial para os pacientes que necessitam de profilaxia contra ISTs e para as mulheres que desejam realizar a interrupção legal da gestação. Assim, com base na análise do perfil das vítimas, é possível e fundamental traçar o planejamento da assistência e das intervenções desses pacientes

PALAVRA CHAVE

violência sexual; saúde sexual e reprodutiva; vigilância epidemiológica

Área

GINECOLOGIA - Sexualidade

Autores

ISABELA ARAGÃO COLARES, JOSÉ ARMANDO PESSÔA NETO, DEBORA FERNANDES BRITTO

Adicione na sua agenda: AppleGoogleOffice 365OutlookOutlook.comYahoo