59º Congresso Brasileiro de Ginecologia e Obstetrícia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

Índice de massa corporal pré-gestacional e outros fatores maternos associados a defeitos congênitos: Série temporal de 30 anos

OBJETIVO

Conhecer a prevalência de defeitos congênitos e avaliar a sua associação com fatores maternos como índice de massa corpórea (IMC) pré-gestacional, idade, cor da pele e paridade entre mulheres que tiveram partos entre 1986 e 2016 em uma maternidade de referência.

MÉTODOS

Exploramos um banco de dados de 30 anos (1986-2016) em um estudo de corte transversal. O banco de dados foi construído a partir de fichas pré-codificadas de partos de uma maternidade de referência. Gestações múltiplas e dados inconsistentes ou incompletos que não permitiam o cálculo do índice de massa corporal foram excluídos. Análise bivariada e regressão logística multivariada com os critérios de seleção de variáveis Stepwise foram realizadas.

RESULTADOS

Foram analisados 40.217 casos, entre eles 2,8% (1.132) apresentavam defeitos congênitos. A análise bivariada mostrou maior prevalência dos defeitos congênitos com aumento do índice de massa corpórea materna pré-gestacional, e também nos extremos de idade materna, em mulheres com cor da pele branca e primigestas. No grupo com defeitos congênitos também encontramos mais cesarianas, parto prematuro, baixo peso ao nascer e baixo índice de Apgar. A regressão logística multivariada mostrou relação significativa entre defeitos congênitos com sobrepeso / obesidade pré-gestacional (OR [IC 95%]: 1,19 [1,01-1,41]), idade materna ≥ 40 anos (OR [IC 95%]: 1,68 [1,11-2,54] ) e cor da pele branca (OR [IC 95%]: 1,44 [1,19-1,75]).

CONCLUSÕES

Mulheres com sobrepeso e obesidade pré-gestacional têm maior probabilidade de apresentar defeitos congênitos. Entre todos os demais fatores de risco relacionados aos defeitos congênitos, o índice de massa corporal pré-gestacional é um fator de risco modificável. Portanto o índice de massa corporal pré-gestacional deve ser considerado e abordado no aconselhamento pré-concepcional, pois trata-se de um fator de risco modificável para defeitos congênitos.

PALAVRA CHAVE

índice de massa corporal, gestação, defeitos congênitos, fator de risco modificável, aconselhamento pré-concepcional

Área

OBSTETRÍCIA - Epidemiologia

Autores

Carolina Bicudo Borrelli, Sirlei Siani Morais, Mariane Massaini Barbieri, Fernanda Garanhani Surita

Adicione na sua agenda: AppleGoogleOffice 365OutlookOutlook.comYahoo