59º Congresso Brasileiro de Ginecologia e Obstetrícia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

Frequência de síndromes hipertensivas em gestantes com COVID-19: estudo de coorte

OBJETIVO

Descrever a frequência de casos de síndromes hipertensivas em gestantes e puérperas admitidas com COVID-19 em uma maternidade-escola do Nordeste do Brasil.

MÉTODOS

Foi realizado um estudo de coorte em uma maternidade-escola do Nordeste do Brasil. Foram incluídas todas as gestantes e puérperas com diagnóstico de COVID-19 confirmada (teste RT-PCR positivo) no período de 1 de abril a 31 de dezembro de 2020. Os dados foram coletados utilizando-se um formulário padronizado, com todas as precauções padrões para evitar contaminação. Avaliou-se a frequência das Síndromes Hipertensivas (SH) de forma geral e de cada uma em particular (de acordo com a classificação do ACOG) dentro da população estudada. Esta pesquisa foi previamente submetida e aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa (CEP) sob o CAEE número 31757620.5.0000.5201. As pacientes incluídas no período prospectivo assinaram um termo de consentimento livre e esclarecido. Para a análise de dados, após digitação no REDCap, foi realizada revisão e extraída a planilha das variáveis, sendo a análise estatística realizada no programa Epi Info 7.2.4.

RESULTADOS

Foram incluídas 387 pacientes com COVID-19 no ciclo gravídico-puerperal. A frequência de síndromes hipertensivas foi de 26,9%; a de maior destaque foi a hipertensão arterial crônica, presente em 42 (10,9%) dos casos. Hipertensão gestacional foi diagnosticada em 39 pacientes (10,1%). Pré-eclâmpsia sem critérios de gravidade ocorreu em 15 mulheres (3,0%), pré-eclâmpsia com critérios de gravidade em 28 (7,2%), houve dois casos de eclâmpsia (0,5%), e quatro casos de síndrome HELLP (1,03%).

CONCLUSÕES

Esse estudo demonstrou a presença de síndromes hipertensivas em mais de um quarto das gestantes com COVID-19, chamando a atenção para o número de pacientes com pré-eclâmpsia, em torno de 10%, o dobro do esperado. Este estudo corrobora os achados de diversos outros estudos evidenciando associação de síndromes hipertensivas com COVID-19. Hipertensão crônica pode ser fator de risco, bem como pré-eclâmpsia, porém tem sido especulado que a COVID-19 também possa ser a etiologia da pré-eclâmpsia em suas diversas manifestações.

PALAVRA CHAVE

Gravidez de Alto Risco, COVID-19, Hipertensão Induzida pela Gravidez, Pré-Eclâmpsia, Eclâmpsia, Síndrome HELLP

Área

OBSTETRÍCIA - Gestação de Alto Risco

Autores

Antônio Henriques de França Neto, Bianca Conserva Freire , Clara de Araujo Dantas Teixeira , Leila Katz, Melania Maria Ramos Amorim

Adicione na sua agenda: AppleGoogleOffice 365OutlookOutlook.comYahoo