59º Congresso Brasileiro de Ginecologia e Obstetrícia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

DESFECHOS MATERNOS E NEONATAIS DE PACIENTES DE ALTO-RISCO: ESTUDO DE COORTE

OBJETIVO

Avaliar os desfechos maternos e neonatais de gestantes admitidas na Unidade de Gravidez de Alto Risco de uma Maternidade-Escola do Nordeste do Brasil.

MÉTODOS

Foi realizado um estudo de coorte prospectivo, com amostra consecutiva, não probabilística de pacientes elegíveis internadas na enfermaria de alto risco de uma maternidade. Foram avaliadas variáveis biológicas, sociodemográficas, obstétricas, de assistência pré-natal, de manejo clínico na internação e os desfechos maternos e neonatais. Os dados foram coletados de dezembro de 2019 a dezembro de 2020 e analisados no programa Epi Info 7.2. Este estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa local (CAAE 28605319.5.0000.5182). Todas as participantes assinaram termo de consentimento

RESULTADOS

Das pacientes admitidas no período 510 preenchiam os critérios de elegibilidade e concordaram em participar do estudo. Dessa amostra, 64,3% tinham idade entre 20 e 34 anos, 63,7% eram pardas, 45,4% tinham obesidade e a maioria possuíam baixa renda, com média de renda per capita de R$464,8. Além disso, 97,2% tiveram ao menos uma consulta de pré-natal, com mediana de sete consultas. Em torno de 30% já apresentavam comorbidades prévias, das quais 24,1% correspondiam às síndromes hipertensivas. Das pacientes internadas, a frequência das pacientes que tiveram parto no serviço foi de 61,2% e, desses, 85,4% dos nascimentos foram por cesariana. Em relação à idade gestacional no parto, 5% deles ocorreram com idade igual ou inferior a 28 semanas, 19,1% entre 29 e 33, 27,3% entre 34 e 36, 30,9% entre 37 e 38, 18,4% igual ou superior a 39 semanas, apresentando uma mediana de 36 semanas. Houve sete óbitos maternos (1,7%), 16 óbitos fetais (5,6%), 23 casos de near miss materno (4,3%) e 38 casos de near mis neonatal (13,1%), o que corresponde a 18% de desfechos neonatais adversos e 6,2% de desfechos maternos adversos, respectivamente.

CONCLUSÕES

A maioria das pacientes admitidas na enfermaria de alto-riscoda maternidade-escola são jovens, multigestas, pardas e apresentam baixa renda. Foram admitidas principalmente por síndromes hipertensivas, seguindo-se as causas infecciosas, diabetes e síndromes hemorrágicas. Cesárea foi a via de nascimento mais frequente, com idade gestacional no parto na grande maioria abaixo de 36 semanas. A maioria das pacientes recebeu alta hospitalar e 6,2%das pacientes tiveram desfechos maternos adversos. Em torno de 18% dos recém-nascidos tiveram desfechos neonatais adversos.

PALAVRA CHAVE

Saúde Materna. Assistência perinatal. Gestação de alto risco. Mortalidade Materna. Mortalidade Neonatal. Near Miss.

Área

OBSTETRÍCIA - Gestação de Alto Risco

Autores

Thales Albuquerque Rocha, Thaise Villarim Oliveira, Melania Maria Ramos Amorim, Arthur Ferreira Cerqueira Amorim, Caline Cariry Cabral de Melo Peixoto, Caio Lucas Agra de Medeiros

Adicione na sua agenda: AppleGoogleOffice 365OutlookOutlook.comYahoo