59º Congresso Brasileiro de Ginecologia e Obstetrícia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

Perfil clínico e manejo terapêutico de pacientes internadas por eclâmpsia em UTI obstétrica

OBJETIVO

Descrever o perfil clínico e o manejo terapêutico de pacientes internadas por eclâmpsia em UTI obstétrica.

MÉTODOS

Trata-se de um estudo de coorte ambidirecional incluindo pacientes internados por eclâmpsia na UTI de uma maternidade-escola do Nordeste do Brasil. Todos os prontuários de pacientes internadas de julho de 2014 a julho de 2020 foram analisados. Foram investigadas as características epidemiológicas, obstétricas, clínicas (tempo do diagnóstico, sinais e sintomas da doença) e o manejo terapêutico realizado antes da internação da paciente, durante a internação na UTI. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa local. As pacientes incluídas prospectivamente assinaram um termo de consentimento.

RESULTADOS

Um total de 144 casos de eclâmpsia foram analisados. A maioria (43,1%) da amostra tinha idade menor ou igual a 18 anos; 68,8% eram primíparas; 26,4% das pacientes tiveram a síndrome no pós-parto. Das pacientes, 66,0% receberam tratamento medicamentoso com MgSO4 antes da admissão e 14,0% das pacientes tinham recebido tratamento com diazepam antes de chegar à UTI.

CONCLUSÕES

A maioria das mulheres internadas por eclâmpsia na UTI do serviço são jovens, primíparas e apresentaram convulsões durante a gestação. Mesmo com as atuais diretrizes terapêuticas, antes de chegar ao serviço de referência obstétrica, um elevado percentual de mulheres não recebeu tratamento com MgSO4.

PALAVRA CHAVE

Eclâmpsia. Gravidez de Alto Risco. Complicações na Gravidez. Perfil Clínico.

Área

OBSTETRÍCIA - Gestação de Alto Risco

Autores

Lucas Martins dos Santos Sales, Lorena Carneiro de Macêdo, Maria Luiza Rodrigues Barbosa de Melo, Thaise Villarim Oliveira, Melania Maria Ramos Amorim

Adicione na sua agenda: AppleGoogleOffice 365OutlookOutlook.comYahoo