59º Congresso Brasileiro de Ginecologia e Obstetrícia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

GESTAÇÃO E COVID-19: ANÁLISE DOS CASOS ATENDIDOS NA MATERNIDADE DO HOSPITAL DO TRABALHADOR

OBJETIVO

AVALIAR AS CARACTERÍSTICAS E OS DESFECHOS DAS GESTANTES COM SUSPEITA DE COVID-19 ATENDIDAS NA MATERNIDADE DO HOSPITAL DO TRABALHADOR, EM CURITIBA.

MÉTODOS

FOI REALIZADO UM ESTUDO DESCRITIVO, TRANSVERAL E RETROSPECTIVO. AS VARIÁVEIS FORAM COLETADAS DOS PRONTUÁRIOS DAS GESTANTES DIAGNÓSTICADAS COM COVID-19 ATENDIDAS NA MATERNIDADE DO HOSPITAL DO TRABALHADOR ENTRE 18/09/20 À 15/06/21. OS PRONTUÁRIOS FORAM LEVANTADOS A PARTIR DE DADOS REGISTRADOS NA COMISSÃO DE CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR. A PARTIR DOS CASOS SUSPEITOS SELECIONOU-SE OS CASOS CUJOS TESTES DE RT-PCR PARA COVID-19 FORAM POSITIVOS E AVALIOU-SE: DATA DO DIAGNÓSTICO DE COVID-19; IDADE DAS PACIENTES; IDADE GESTACIONAL NA OCASIÃO DO DIAGNÓSTICO, GRAVIDADE DE CADA CASO E DESFECHOS OBSTÉTRICOS. CONSIDEROU-SE COMO "CASO GRAVE" TODOS OS CASOS QUE NECESSITARAM DE INTERNAMENTO EM ENFERMARIA OU EM UTI E "CASOS LEVES" AQUELES QUE NÃO NECESSITARAM DE INTERNAMENTO.

RESULTADOS

DURANTE O PERÍODO DO ESTUDO (18/09/20 À 15/06/21) 124 GESTANTES FORAM ATENDIDAS E SUBMETIDAS A COLETA DE RT-PCR PARA COVID-19. 52 TESTES FORAM POSITIVOS (41,9%). A IDADE MÉDIA DAS GESTANTES QUE POSITIVARAM FOI DE 27,1 ANOS (A MAIS NOVA COM 16 ANOS E A MAIS VELHA COM 42 ANOS). A MAIORIA DOS CASOS (55,7%) FORAM DIAGNOSTICADOS NO TERCEIRO TRIMESTRE. NO SEGUNDO TRIMESTRE HOUVE 17 DIAGNÓSTICOS (32,6%) AO PASSO QUE NO PRIMEIRO TRIMESTRE 6 (11,5%). OS CASOS TIVERAM CURVA ASCENDENTE NO DECORRER DOS MESES SENDO OS PICOS NOS MESES DE JANEIRO E MARÇO DE 2021. O MÊS DE MARÇO TEVE O MAIOR NÚMERO DE DIAGNÓSTICOS (11). 20 CASOS (38%) FORAM CLASSIFICADOS COMO GRAVES. DESTES, 14 PACIENTES FICARAM INTERNADAS NA ENFERMARIA E 6 NA UTI. OBSERVOU-SE AUMENTO EXPRESSIVO DOS CASOS GRAVES A PARTIR DE FEVEREIRO DE 2021, SENDO A MAIOR OCORRÊNCIA (6 CASOS) EM MARÇO. HOUVE 1 CASO DE ÓBITO MATERNO. DENTRE OS 52 CASOS, 3 GESTAÇÕES EVOLUÍRAM PARA ABORTAMENTO DE PRIMEIRO TRIMESTRE. HOUVE 2 CASOS DE ÓBITO FETAL INTRA-UTERINO: AMBAS GESTANTES COM FORMA LEVE DE COVID-19 E O DIGNÓSTICO E O DESFECHO OCORRERAM EM UM INTERVALO MENOR QUE 12 DIAS. 4 CASOS LEVES EVOLUÍRAM COM RESTRIÇÃO DO CRESCIMENTO INTRA-UTERINO. HOUVE AINDA 5 CASOS DE AMNIORREXE PREMATURA OU OLIGODRÂMNIO SEVERO E 16 CASOS CUJO DESFECHO FOI DESCONHECIDO.

CONCLUSÕES

É NOTÁVEL O AUMENTO DE CASOS GRAVES DE GESTANTES COM COVID-19 E DESFECHOS OBSTÉTRICOS DESFAVORÁVEIS ASSOCIADOS A ESSA DOENÇA. OS DADOS LEVANTADOS NO PRESENTE ESTUDO EMBASARAM A CRIAÇÃO DE UM AMBULATÓRIO EXCLUSIVO PARA ACOMPANHAMENTO DE GESTANTES QUE FORAM INFECTADAS PELA COVID-19.

PALAVRA CHAVE

COVID-19; COVID; GESTAÇÃO; ÓBITO FETAL; OBITO MATERNO; INFECÇÃO MATERNA POR COVID-19; RCIU

Área

OBSTETRÍCIA - Doenças Infecciosas

Autores

Veridiana Grasselli , SOMAIA REDA, MARIA ESTHER GRAF, MARCELO GUIMARAES RODRIGUES

Adicione na sua agenda: AppleGoogleOffice 365OutlookOutlook.comYahoo