59º Congresso Brasileiro de Ginecologia e Obstetrícia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

Covid 19 na gestação e o maior risco de desfechos adversos

CONTEXTO

Estudos recentes tem apontado que as formas graves de infecção por COVID-19 são comumente complicadas por coagulopatias. Uma delas é a CIVD (coagulação intravascular disseminada), patologia caracterizada pela ativação descontrolada da coagulação intravascular, o que leva à formação e deposição de fibrina na microvasculatura e, eventualmente, à disfunção múltipla de órgãos. Torna-se ainda mais desafiadora quando associada à gestação por conta do risco eminente de desenvolver um quadro hemorrágico catastrófico.

DESCRIÇÃO DO(S) CASO(S) ou da SÉRIE DE CASOS

Secundigesta de 29 anos, idade gestacional de 39 semanas, com diagnóstico de COVID-19 há 6 dias, admitida na maternidade referindo ausência de movimentação fetal e sangramento vaginal, sem sintomas gripais (afebril há 4 dias) ou perda de líquido via vaginal. Ao exame fisico, sinais vitais estaveis e ausência de batimentos cardiofetais, confirmando óbito fetal intrautero e oligodramnio absoluto na ecografia. Exames de coagulação evidenciando coagulopatia (trombocitopenia severa e marcadores de coagulação incoaguláveis), confirmando diagnóstico de CIVD. Paciente evoluiu para parto vaginal e atonia uterina com sinais de choque hipovolêmico. Iniciado manejo com transfusão maciça e protocolo de hemorragia puerperal com inserção de balão intrauterino. Após 24 horas, paciente apresentou melhora clínica e laboratorial. Além disso, apresentou quadro de trombose em membro superior esquerdo. Recebeu alta hospitalar no sexto dia de internação. O anatomopatológico da placenta evidenciou sinal patognomônico para COVID-19: endarterite obliterativa dos vasos vilositários fetais.

COMENTÁRIOS

Tal caso possui extrema relevância diante do fato de que, graças ao diagnóstico precoce e ao manejo adequado, apesar da morte fetal, a puérpera teve uma recuperação favorável do quadro clínico, não apresentando complicações posteriores, visto que estudos demonstraram que o desfecho materno desfavorável é de, em torno de, 20 a 25% dos casos. A COVID-19 ainda é uma patologia que apresenta diversos desafios para a medicina, por conta do seu histórico ainda muito recente, sobretudo se considerado o fato de que a doença respiratória interfere diretamente na cascata de coagulação, predispondo para o desencadeamento do quadro de CIVD. Portanto, relatos de caso como o apresentado acima, são de extrema importância para auxiliar no conhecimento do mecanismo da doença e de suas consequências materno-fetais, auxiliando no manejo precoce do quadro clínico.

PALAVRA CHAVE

COVID 19 // GESTAÇÃO // CIVD

Área

OBSTETRÍCIA - Gestação de Alto Risco

Autores

BRUNA DA SILVA WIATROWSKI, CARYN COSTA, NADIA MARIA CEOLIN, MARIANNE ONGARATTO LUMI, PAOLA CALLEGARO DALLA CORTE, CAROLINE CARNEIRO MARTINS ALEGRE, BRUNA HELOISA VOLPATO, THAYS MARA GUIMARÃES

Adicione na sua agenda: AppleGoogleOffice 365OutlookOutlook.comYahoo