59º Congresso Brasileiro de Ginecologia e Obstetrícia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

Gravidez e trombastenia - Importância de seu conhecimento para evitar Near Miss materno.

CONTEXTO

A trombastenia de Glanzmann (GTTG) é uma desordem hemorrágica, autossômica recessiva, com uma prevalência menor que 1/1OOO nascidos -vivos. É ocasionada por anormalidades do receptor de plaquetas GPIIb/IIIa causando uma redução severa ou ausência de agregação plaquetária. O risco de hemorragia em uma portadora de GT chega a ser 40 vezes maior do que uma paciente com função plaquetária normal. Pacientes com GTTG geralmente são diagnosticados ainda durante a infância, sendo as manifestações clínicas mais comuns: formação de hematomas, epistaxe, menorragia, e sangramento gengival. É classificada em três tipos: e a manifestação clínica não depende da gravidade. Tipo 1 (grave): 5% dos níveis normais de GPIIb-IIIa; Tipo 2 (menor gravidade): 10-20% do GPIIb-IIIa em níveis normais; e Tipo 3: níveis normais de GPIIb-IIIa, mas funcionalmente inativa. Na TG as plaquetas têm morfologia e contagem normais, podendo ter um tempo de sangramento ser prolongado ou, ausente e a agregação plaquetária defeituosa. O diagnóstico definitivo é feito por fluxo-citometria usando anticorpos para GPIIb e GPIIIa. O tratamento envolve uso de antifibrinolíticos e transfusão de plaquetas para episódios de sangramentos e em profilaxias durante cirurgias.

DESCRIÇÃO DO(S) CASO(S) ou da SÉRIE DE CASOS

J.N.A.S 24 anos, G3P1A1, com diagnóstico de trombastenia indefinida, já acompanhada em centro de especialidades hematológicas do Estado de Pernambuco, foi internada no curso de 31 semanas gestacionais. História prévia de parto prematuro com 32 semanas, apresentando hemorragia pós parto importante de difícil controle, sendo necessário transfusão de concentrado de hemácias e plaquetas. A segunda gestação foi uma gravidez ectópica a esquerda, que evoluiu rapidamente para gravidez ectópica rota com sinais de choque hemorrágico, sendo necessário laparotomia de urgência, com transfusão de concentrado de hemácias, plasma e plaquetas intra operatório. Já na sua terceira gestação, paciente foi orientada a procurar internamento em hospital terciário da capital do Estado de Pernambuco, para acompanhamento em enfermaria de gestação de alto risco, a fim de evitar complicações graves, como hemorragias e melhor programação oportuna do momento do parto.

COMENTÁRIOS

Paciente com história prévia de hemorragia pós parto, em que houve episódio de Near Miss materno. Observamos a maior necessidade de cuidados e vigilância com essas pacientes, uma vez que o não conhecimento do quadro ou a falta de suporte, como banco de sangue, podem levar a um desfecho negativo e fatal.

PALAVRA CHAVE

gravidez alto risco, trombastenia, hemorragia pos parto.

Área

OBSTETRÍCIA - Gestação de Alto Risco

Autores

MAYRA MARTINS MELO, BEATRIZ RODRIGUES ARRAES, THALITA DIOGENES MUNIZ

Adicione na sua agenda: AppleGoogleOffice 365OutlookOutlook.comYahoo