59º Congresso Brasileiro de Ginecologia e Obstetrícia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

FIBROADENOMAS MÚLTIPLOS BILATERAIS EM MULHER DE 21 ANOS - RELATO DE CASO

CONTEXTO

Fibroadenomas (FA) são os tumores benignos mais comuns da mama. Embora sejam comuns na população em geral, afetando de 10 a 20% das mulheres, sobretudo adolescentes e adultas jovens, raramente são múltiplos e bilaterais. Entre as mulheres com FA, apenas 15% têm 2 a 4 nódulos em uma mama e apenas 11% têm tumores bilaterais. De acordo com a literatura atual, o número médio de nódulos em casos de FA múltiplos é tipicamente 3 a 4 em uma única mama, sendo a ocorrência de mais de cinco FA muito menos comum.

DESCRIÇÃO DO(S) CASO(S) ou da SÉRIE DE CASOS

Mulher, nulípara, 21 anos, apresentou múltiplos nódulos palpáveis em ambas as mamas. Possuía história familiar positiva para câncer de mama em segundo grau. Não possuía histórico de uso de anticoncepcionais orais. Não tinha outras comorbidades. Em dezembro de 2019, realizou ultrassonografia (USG) mamária, que evidenciou, ao total, 6 nódulos circunscritos, Birads 3, sendo 4 em mama direita e 2 em mama esquerda, de dimensões variando desde 1,0x1,2 – 1,7x2,7 cm. Em novo exame de USG, 1 ano e 2 meses após o anterior, foram detectados, além dos já descritos, mais 2 nódulos novos, sendo 5 em mama direita e 3 em mama esquerda, de dimensões variando entre 1,2x0,8 – 3,2x2,1 cm, sendo 7 palpáveis. Diante do aumento do volume e surgimento de novos nódulos, foi indicada a exérese destes sob anestesia peridural e sedação. Durante a cirurgia, foi realizada incisão periareolar com exérese de 4 nódulos em mama direita e 3 em mama esquerda. A análise histológica dos espécimes confirmou o diagnóstico de múltiplos FA bilaterais peri e intracanaliculares, com dimensões variando entre 1,5x1,3x1,3 – 3,9x3,4x2,4 cm. O pós-operatório ocorreu sem intercorrências e a cicatriz da incisão foi aceitável para a paciente. A coleta de dados foi realizada após aprovação do Comitê de Ética em Pesquisa, nº 3.907.469.

COMENTÁRIOS

O manejo dessa condição requer seguimento clínico e realização de exames de imagem periódicos, não necessitando de procedimentos invasivos na maioria dos casos. Contudo, a excisão cirúrgica pode ser feita de acordo com o quadro clínico e desejo da paciente. O papel dos estrogênios, herança e fatores dietéticos na formação do FA de mama já são bem estabelecidos. Ao contrário do FA único, a maioria das pessoas com FA múltiplos tem uma história familiar desses tumores. A etiologia do FA múltiplo nesta paciente não pôde ser associada ao uso de anticoncepcionais, história familiar ou qualquer outro fator conhecido, portanto, permanece desconhecida.

PALAVRA CHAVE

fibroadenomas múltiplos

Área

GINECOLOGIA - Mastologia

Autores

Luciano Sampaio Guimarães, José Reginaldo Alves de Queiroz Júnior, Maria Layane Fernandes de Oliveira, Alessandra Karolynne Barbosa dos Santos, Alice Monteiro Ramos, Carolina de Souza Vasconcelos, Márcia Silva de Oliveira, Agostinho de Sousa Machado Junior

Adicione na sua agenda: AppleGoogleOffice 365OutlookOutlook.comYahoo