59º Congresso Brasileiro de Ginecologia e Obstetrícia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

IMINÊNCIA DE ECLÂMPSIA ASSOCIADA A CRISE PSICÓTICA: UM RELATO DE CASO

CONTEXTO

Distúrbios hipertensivos são principais causa de mortalidade materno-infantil no Brasil, em especial a pré-eclâmpsia (PE) e a eclâmpsia, que também contabilizam cerca de 10% das mortes maternas no mundo. A PE é considera grave quando vem associada a sinais de encefalopatia hipertensiva (cefaleias e distúrbios visuais), sendo inclusive definida como um quadro de morbidade materna pela OMS. Há poucos dados na literatura acerca de sintomas neuropsiquiátricos que podem estar associados à PE.

DESCRIÇÃO DO(S) CASO(S) ou da SÉRIE DE CASOS

Primigesta, 22 anos, com 37 semanas de gestação, deu entrada no serviço por pico hipertensivo (170/110mmHg) associado à amniorrexe prematura a termo e pesquisa de proteinúria por fita-reagente positiva. À internação, a paciente inicialmente apresentou controle pressórico adequado, exames laboratoriais normais e a vitalidade fetal preservada. Optado então pela indução do trabalho de parto com controle cardiotocográfico e vigilância materno-fetal constante. A paciente evoluiu com elevação da pressão arterial refratária às medicações de resgate, cefaleia, escotomas, vômitos, prosopagnosia, desorganização de pensamento, discurso delirante, alucinações visuais e auditivas. Atestada a hipótese de iminência de eclâmpsia, foi iniciado Sulfato de Magnésio pelo esquema de Zuspan e submetida a cirurgia cesariana de emergência, após estabilização clínica materna. O feto nasceu sem intercorrências neonatais e a paciente evoluiu com melhora pressórica e clínica após o parto, com remissão total dos sintomas psiquiátricos.

COMENTÁRIOS

As manifestações fisiopatológicas da PE caracterizam-se por danos no endotélio vascular e agregação plaquetária aumentada em órgãos-alvo, como placenta, rins, fígado e cérebro, gerando a expressão clínica da doença. A descrição das manifestações psiquiátricas da pré-eclâmpsia é escassa na literatura científica, e pode estar relacionado à hipóxia tecidual induzida pela doença. No caso em questão, também poderíamos suspeitar de Encefalopatia Hipertensiva Posterior Reversível (PRES), que pode estar associado a sintomas semelhantes e produz alterações específicas em exames de imagem, com remissão dos sintomas após estabilização do quadro clínico. Este relato visa chamar a atenção para a possibilidade de sintomas neuropsiquiátricos associados à PE na gestação, bem como seus diagnósticos diferenciais.

PALAVRA CHAVE

Pré-eclâmpsia; gravidez; transtorno psicótico

Área

OBSTETRÍCIA - Gestação de Alto Risco

Autores

Marcel Arthur Cavalcante Gonçalves, Marina Presmich Pontual, Bruna Lima Albuquerque, Thomas Bernardes Lopes, José Cliver Bandeira Albuquerque, José Maurício Meneses Dantas Bandeira, Felipe Oliveira Albuquerque, Isabela Karine Rodrigues Agra

Adicione na sua agenda: AppleGoogleOffice 365OutlookOutlook.comYahoo