59º Congresso Brasileiro de Ginecologia e Obstetrícia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

Encefalopatia de Wernick em gestante não Etilista

CONTEXTO

A Encefalopatia de Wernicke resulta da deficiência de tiamina, que pode levar a complicações neurológicas crônicas e irreversíveis (Síndrome de Korsakoff).

DESCRIÇÃO DO(S) CASO(S) ou da SÉRIE DE CASOS

Paciente, 18 anos, G2A1, com idade gestacional de 22 semanas e 2 dias, procurou atendimento queixando-se de vômitos incoercíveis, desde as 8 semanas de gestação, associado a perda ponderal importante (30 kg em 3 meses). Histórico de HAS, mantendo níveis tensionais adequados sem medicação. Foi internada para tratamento de hiperemese gravídica, e manteve quadro de vômitos e inapetência apesar de terapêutica antiemética adequada. Avaliações fetais mostraram restrição de crescimento fetal, peso fetal no percentil <1 e aumento da resistência em artéria umbilical. Houve perda ponderal de mais 5kg durante internação, e, além disso, apresentava-se desatenta, com sonolência excessiva e humor embotado. História de depressão e abuso sexual na infância levaram a suspeição de depressão maior e transtorno de ansiedade generalizada, sendo iniciada Fluoxetina. Entretanto, paciente evoluiu rapidamente com alterações do sensório, ataxia de marcha e nistagmo, sendo diagnosticada com Encefalopatia de Wernicke. Iniciado tratamento com tiamina endovenosa, seguida de tiamina via oral até o parto. Os sinais de encefalopatia regrediram gradualmente, com melhora rápida do nistagmo e retorno do apetite. Durante internação, apresentou complicações obstétricas, como trabalho de parto prematuro, colestase gravídica, pré-eclâmpsia, e ruptura prematura de membranas às 32 semanas e 5 dias, evoluindo para parto vaginal. No momento do nascimento, paciente ainda mantinha ataxia de marcha residual, tendo resolução dos demais sintomas neurológicos.

COMENTÁRIOS

O etilismo crônico é o fator causal mais comum, podendo ser desencadeada também por síndromes disabsortivas, anorexia, hiperemese gravídica, doenças malignas. Os sintomas e sinais mais comuns são alterações do sensório, ataxia de marcha e nistagmo, tríade clássica presente em pelo menos um terço dos pacientes. O diagnóstico é eminentemente clínico, porém pode representar um desafio em pacientes não etilistas devido ao baixo nível de suspeição. A reposição de tiamina é fácil, tem baixo custo e é amplamente disponível, devendo ser iniciada tão logo haja a suspeita do diagnóstico. O nistagmo em geral se resolve em horas após inicio do tratamento, porém ataxia e confusão mental podem permanecer por semanas, com risco de cronificação. Pacientes não tratados podem evoluir para coma e morte.

PALAVRA CHAVE

Gestação de alto risco, Encefalopatia de Wernick, Hiperemese gravídica

Área

OBSTETRÍCIA - Gestação de Alto Risco

Autores

Ivete Cristina Teixeira Canti, Ricardo Grigoletto de Brito, Carolina Reinbrcht Bernini, Luana Carolina Delevatti, Gabriela Neuvald Pezzella, Luana Strapazzon

Adicione na sua agenda: AppleGoogleOffice 365OutlookOutlook.comYahoo