59º Congresso Brasileiro de Ginecologia e Obstetrícia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

Alterações secundárias à interrupção do uso de anticoncepcionais orais.

OBJETIVO

Descrever as alterações secundárias à interrupção do uso de anticoncepcionais orais (ACO) disponíveis na literatura.

FONTE DE DADOS

Foram utilizadas as bases de dados Pubmed e Google Acadêmico com os termos de indexação: “post birth control syndrome”, “post pill syndrome”, “discontinuation AND oral contraceptives”, “oral contraceptives AND amenorrhea”.

SELEÇÃO DE ESTUDOS

Excluídos artigos com amostras insuficientes e revisões de literatura, foram selecionados oito estudos publicados na língua inglesa de 1976 a 2020, entre eles cinco coortes prospectivos, um retrospectivo, uma série de casos e um seccional. Artigos mais recentes foram preferidos, no entanto, a inclusão de publicações de 1976 justifica-se pela relevância das amostras e pela especificidade dos dados.

COLETA DE DADOS

A partir dos artigos, foram sintetizadas as alterações mais relevantes relatadas.

SÍNTESE DE DADOS

Atraso da data estimada de ovulação, redução da intensidade do fluxo menstrual, citologia vaginal de padrão anovulatório e biópsia endometrial sem característica secretora são alterações citadas em um estudo; redução da qualidade do muco cervical, aumento de fases lúteas insuficientes e oligomenorreia, em dois; amenorreia/temperatura basal monofásica – sobretudo em mulheres com distúrbios menstruais prévios ou menarca tardia – em quatro; e atraso no retorno da fertilidade, em cinco. A falta de relação entre duração da terapia com ACO e infertilidade foi descrita em três artigos. Além disso, constatou-se em um estudo que não há relação entre uso recente de ACO e abortos espontâneos. Deve-se ressaltar que as alterações descritas são transitórias, sendo amenorreia por 540 dias, um outlier, a consequência relatada mais duradoura, ao passo que diminuição da fertilidade apresentou relevância estatística apenas nos primeiros três meses.

CONCLUSÕES

Foram observadas em algumas pacientes alterações ovulatórias, principalmente nos primeiros meses após a interrupção do uso de ACO. Contudo todas apresentaram caráter transitório. Diante disso, mais estudos são necessários para atualizar as características dessas alterações aos novos perfis de ACO, a fim de reduzir receios mal fundamentados em relação ao seu uso.

PALAVRA-CHAVE

suspensão de ACO; amenorreia; anticoncepcional oral

Área

GINECOLOGIA - Contracepção

Autores

Silvia Fortini Dutra, Juliana Pinheiro Dutra

Adicione na sua agenda: AppleGoogleOffice 365OutlookOutlook.comYahoo