59º Congresso Brasileiro de Ginecologia e Obstetrícia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

Near Miss em gestação gemelar complicada por SRAG associada à COVID-19

CONTEXTO

Está estabelecido que gestantes com COVID -19 têm maior risco de evoluir rapidamente para quadros graves e muitas vezes até mesmo óbito, quando comparadas a mulheres não-grávidas, principalmente se portadora de comorbidades.

DESCRIÇÃO DO(S) CASO(S) ou da SÉRIE DE CASOS

Primigesta, 34 anos, IG: 21 +1, gestação gemelar dicoriônica e diamniótica e hipertensa prévia. Interna por Síndrome Respiratória Aguda Grave devido à COVID-19, no D10 de sintomas, apresentando comprometimento de 50% do parênquima pulmonar evidenciado em tomografia de tórax. Evolui rapidamente com piora do padrão ventilatório e dessaturação, sendo transferida para a UTI no dia seguinte, com necessidade de intubação orotraqueal (IOT) e manobras de pronação. Apresentou também injúria renal aguda (IRA), necessitando de hemodiálise diária (HD), e Pneumonia Associada à Ventilação Mecânica, necessitando de antibioticoterapia de amplo aspectro. Obteve melhora gradual do quadro, sendo extubada após 18 dias e tendo suspensa a hemodiálise 30 dias após. Transferida para a enfermaria obstétrica para acompanhamento de gestação gemelar, onde foi diagnosticada com pré-eclâmpsia e alteração de Doppler da artéria umbilical de um dos fetos. Indicada interrupção da gestação com 36 semanas devido às comorbidades maternas, realizada cesárea por gemelaridade, APGAR 8/9 de ambos fetos. Paciente com boa evolução, recebendo alta juntamente com as gêmeas.

COMENTÁRIOS

Durante a gravidez, a saturação periférica de oxigênio materno deve ser mantida acima de 95% com vistas a garantir um gradiente de difusão de O2 adequado da mãe ao feto. Deve-se proceder ao manejo progressivo de suporte de O2, porém não adiar IOT se necessária. A manobra de prona tem sido muito importante para uma melhora substancial na perfusão e na oxigenação pulmonar. Tal manobra é viável em gestantes utilizando-se proteção abdominal, e é utilizada também no período pré-intubação de forma passiva, o que evita IOT em diversos casos. Sabe-se que o COVID-19 pode afetar não apenas o sistema respiratório como também o renal. Dentre as patologias renais, uma das mais comuns é a IRA, com prevalência de cerca de 17% dentre os pacientes que necessitam de hospitalização por COVID; além disso, por volta de 5% chega, inclusive, a precisar de terapia de substituição renal. A mortalidade em 28 dias entre tais pacientes com necessidade de HD chegou a 50%. Dos sobreviventes, 34% ainda necessitava de HD no momento da alta. Portanto, constatamos o desfecho positivo deste near miss.

PALAVRA CHAVE

Gestação gemelar, COVID-19, SRAG, Gestação de alto risco

Área

OBSTETRÍCIA - Gestação de Alto Risco

Autores

Ivete Cristina Teixeira Canti, Gabriela Neuvald Pezzella, Luana Strapazzon, Carolina Reinbrecht Bernini, Luana Carolina Delevati, Ricardo Grigoletto de Brito

Adicione na sua agenda: AppleGoogleOffice 365OutlookOutlook.comYahoo