59º Congresso Brasileiro de Ginecologia e Obstetrícia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

DESFECHOS MATERNOS EM GESTANTES COM DIABETES GESTACIONAL DE UMA MATERNIDADE ESCOLA EM JOÃO PESSOA/PB

OBJETIVO

Conhecer a incidência de desfechos negativos nas pacientes com diabetes mellitus gestacional (DMG) cujo parto ocorreu em uma Maternidade Escola em João Pessoa/PB.

MÉTODOS

Foram analisadas 180 puérperas com diagnóstico de DMG segundo os critérios da International Association of the Diabetes and Pregnancy Study Group (IADPSG) entre agosto de 2019 e abril de 2021. Os dados analisados foram coletados do prontuário das pacientes e diretamente através de entrevista das pacientes durante sua estadia na maternidade e dispostos em software de análises estatísticas (SPSS).

RESULTADOS

Cento e vinte duas das 180 pacientes, apresentaram algum fator de risco, ocorrendo associação de dois ou mais fatores em 50 gestantes (27,7%); DMG em gestação anterior em 10%; história prévia de macrossomia fetal em 6,11% das mulheres; RN pequeno para a idade gestacional em 5%; e obesidade pré-concepcional em 35%. 47,2% apresentaram pelo menos uma comorbidade, sendo a hipertensão arterial a mais frequente, com 35%. Quanto a semana de diagnóstico e início do tratamento, 27,2% das pacientes descobriram a DMG ainda no primeiro trimestre, 31% no segundo, 41,7% somente no terceiro trimestre, e, dentre estas, 13,9% descobriram somente ao dar entrada na maternidade. 13,3% dos partos foram pré-termos (σ ± 5,5). A via de parto mais prevalente foi a cesariana, com 132 casos. Das 48 gestantes que conceberam por via eutócica, 18,8% apresentaram laceração de trajeto, sendo essa a complicação materna periparto mais comum para essa via de parto. 44% apresentaram infecção do trato urinário (ITU), e 22% alterações quantitativas do líquido amniótico (oligodrâmnio e polidrâmnio). Sete por cento apresentaram pré-eclâmpsia; registraram-se 3 casos de hemorragia; as demais complicações analisadas, a saber, eclâmpsia, distócia de ombro, fratura de clavícula, sepse e morbidade materna, não apresentaram nenhum caso.

CONCLUSÕES

Nas pacientes estudadas obteve-se incidência acima da média populacional de prematuridade, pré-eclâmpsia, infecção do trato urinário, oligodramnia, polidraminia, ganho de peso exacerbado e obesidade. Foram encontradas cinco associações com significância estatística: obesidade pré-gestacional e ganho de peso exacerbado; ganho de peso exacerbado e laceração de trajeto; ganho de peso exacerbado e obesidade; presença de comorbidade e pré-eclâmpsia; presença de comorbidade e laceração de trajeto.

PALAVRA CHAVE

Diabetes Mellitus Gestacional; gravidez; gestantes; desfechos

Área

OBSTETRÍCIA - Gestação de Alto Risco

Autores

Clessiana Tainara Silva Dantas, Luana Régia Ribeiro de Araújo, Sabina Bastos Maia, Renata de Medeiros Wanderley Gadelha

Adicione na sua agenda: AppleGoogleOffice 365OutlookOutlook.comYahoo