59º Congresso Brasileiro de Ginecologia e Obstetrícia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

FERTILIZAÇÃO IN VITRO E GRAVIDEZ EM PACIENTE COM CRANIOFARINGIOMA: RELATO DE CASO

CONTEXTO

Craniofaringiomas são tumores benignos raros que crescem próximos à hipófise, comprometendo a sua função. A literatura é escassa em relação ao comportamento deste tumor durante fertilização in vitro (FIV) e gestação.

DESCRIÇÃO DO(S) CASO(S) ou da SÉRIE DE CASOS

Paciente feminina, 32 anos, e marido de 31 anos, foram encaminhados para avaliar possibilidades de gestação. Histórico de 2 cirurgias para tratamento de craniofaringioma e quimioterapia localizada, com lesão residual estável. Trazia RM com lesão expansiva suprasselar residual, com 13x12x10mm e cateter em região frontal com extremidade na cisterna suprasselar; campimetria: olho direito com hemianopsia temporal e quadrantanopsia superior, e esquerdo com hemianopsia temporal (quadro estável); TSH=1,3 mUI/L; HSG: cavidade uterina de volume reduzido e trompas tortuosas e pérvias; espermograma normal. Ao exame: IMC=28,2 kg/m² e estrabismo divergente à direita; ecografia: útero com volume reduzido, ovários com dimensões reduzidas (2,7 e 2,3 cm³) sem folículos antrais. FSH, prolactina, AMH com resultados de <0,3 mUI/mL, 10,7 ng/mL e 0,3 ng/mL, respectivamente. Após explanação das etapas e chances de gravidez com indução da ovulação ou com FIV, o casal bem informado sobre os riscos (possibilidade de crescimento do tumor com piora da perda visual e ausência de informações sobre o uso de gonadotrofinas na literatura), optou por FIV. Paciente submetida à estimulação ovariana com menotropina (150 UI/dia por 5 dias e 200 UI/dia por 4 dias) teve o ciclo suspenso por ausência de resposta. Usou testosterona transdérmica 1 mg/dia por 6 semanas. Após, foi submetida à nova estimulação ovariana com 225 UI/dia de menotropina, por 14 dias. Produziu 6 folículos, foram recuperados 3 óvulos maduros, que resultaram em 3 blastocistos, dos quais 1 foi transferido e 2 vitrificados. O procedimento resultou em gravidez, que atualmente está no 3o trimestre, com evolução normal e sem complicações relacionadas ao tumor.

COMENTÁRIOS

Pacientes com craniofaringioma frequentemente necessitam de cirurgia e uso de gonadotrofinas, uma vez que esses tumores costumam cursar com pan-hipopituitarismo. Encontramos apenas 8 casos de craniofaringioma diagnosticados durante a gravidez descritos na literatura. Não identificamos nenhum caso de craniofaringioma remanescente com posterior fertilização in vitro e gravidez. No caso relatado, o tumor se manteve estável a despeito do uso de gonadotrofinas e da gravidez.

PALAVRA CHAVE

craniofaringioma, tumor cerebral, gravidez, fertilização in vitro

Área

GINECOLOGIA - Reprodução Humana

Autores

Isadora Badalotti-Teloken, Vanessa Devens Trindade, Adriana Arent, Marta Ribeiro Hentschke, Victoria Campos Dornelles, Natalia Fontoura de Vasconcelos, Alvaro Petracco, Mariangela Badalotti

Adicione na sua agenda: AppleGoogleOffice 365OutlookOutlook.comYahoo