59º Congresso Brasileiro de Ginecologia e Obstetrícia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

AVALIAÇÃO DE GESTANTES COM PARTO A FÓRCEPS EM UM HOSPITAL DE ENSINO ENTRE 2013 e 2019

OBJETIVO

O objetivo deste estudo foi avaliar os resultados maternos e perinatais de gestações finalizadas pelos fórceps Simpson Braun (PFSB) ou Kielland (PFK) em um hospital de ensino de Janeiro de 2013 a Dezembro de 2019.

MÉTODOS

Estudo observacional, retrospectivo e descritivo, com tamanho amostral estimado de 335 binômios. Foram analisadas 606 gestantes e 334 fetos (dados fetais incompletos devido a dificuldade de coleta) selecionados a partir do sistema de informações do hospital. A ocorrência dos fatores pesquisados foi avaliada a partir de frequências simples e relativas.

RESULTADOS

Entre 2013 e 2019 foram realizados 10.066 partos vaginais e 724 fórceps, correspondendo a 7,2%. 85,5% dos partos foram PFSB e 14,5% PFK.
A média de idade materna foi 25 anos, de paridade 1,3 partos e de gestações 1,5. A média de peso fetal foi 3322 gramas, de comprimento 49 centímetros, de Capurro 38,76 semanas, de Apgar de Primeiro Minuto 8 e Apgar de Quinto Minuto 9.
As Complicações Fetais ocorreram em 31,5% dos fetos, que na sua maioria foram escoriações leves e edema no local da pega do fórceps, havendo uma pequena porcentagem de ocorrências graves. 21,0% sofreram cefalohematoma, 9,5% fratura de clavícula e 2,8% fratura de crânio, todas com boa evolução.
Ocorreram Complicações Maternas em 47,5% dos casos. Destas 67,0% sofreram alguma lesão trajeto, a imensa maioria leve. Houve 11,4% de laceração de Terceiro Grau e 2,0% de Quarto Grau. O Prolongamento de Episiotomia ocorreu em 12,8%. Houve uma pequena porcentagem de Endometrite e Hemorragia Puerperal.
Os resultados maternos e perinatais foram majoriatamente positivos, assim como a ocorrência de eventos graves foi pequena. Apesar das taxas elevadas de complicações maternas, a grande maioria foi de gravidade mínima, como Lacerações de Primeiro Grau e Desgarros de Mucosa. As complicações fetais mais prevalentes também foram aquelas de pequena gravidade.

CONCLUSÕES

Os resultados parciais deste estudo permitem concluir que o uso do Fórceps, uma medida de intervenção importante para partos vaginais complicados, quando precisamente indicado e feito por profissionais experientes é seguro e tem desfecho positivo materno-fetal. Apesar de sua tendência futura de substituição pelo vácuo extrator, esta ainda não é uma realidade brasileira. Desta forma, os resultados parciais desta pesquisa permitem afirmar com base nos dados de boa vitalidade fetal e bom resultados maternos, que o uso do fórceps é seguro e seu ensino em hospitais escola deve ser incentivado.

PALAVRA CHAVE

parto vaginal instrumental, fórceps, resultados perinatais, resultados maternos

Área

OBSTETRÍCIA - Obstetrícia Geral

Autores

Júlia Penha Maróstica, Helaine Maria Besteti Mayer Pires Milanez

Adicione na sua agenda: AppleGoogleOffice 365OutlookOutlook.comYahoo