59º Congresso Brasileiro de Ginecologia e Obstetrícia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

HAMARTOMA MIÓIDE MAMÁRIO: UM RARO RELATO DE CASO

CONTEXTO

O hamartoma é um tumor de mama benigno incomum. Normalmente, apresenta-se por um nódulo encapsulado, bem delimitado, podendo ser confundido com fibroadenoma. Histologicamente, essas lesões são compostas por uma mistura de ductos, lóbulos, estroma fibroso e tecido adiposo, em proporções variadas. Sua incidência varia de 0,4 a 1,15% de todos os tumores benignos da mama. Em relação a idade de acometimento, os achados variam de 18 a 89 anos, com média de 45 anos. O hamartoma mióide é um subgrupo ainda mais raro, composto de glândulas mamárias diferenciadas, estroma, tecido adiposo e áreas de células musculares lisas.

DESCRIÇÃO DO(S) CASO(S) ou da SÉRIE DE CASOS

Paciente feminina, 35 anos, branca, procurou serviço de mastologia devido a nódulo palpável em mama esquerda há 8 meses. Ao exame, apresentava nódulo palpável em mama esquerda, localizado na união dos quadrantes superiores, medindo cerca de 1,5 cm. A mamografia mostrava um nódulo retroareolar de 2,5 cm, regular, com bordas parcialmente definidas (BIRADS IV). A ultrassonografia evidenciou uma imagem nodular de aspecto misto, com áreas hipoecóicas e císticas e calcificação de permeio, com contorno regular em mama esquerda, periareolar, medindo 2,3 x 2,0 x 1,45 cm (BIRADS IV). Foi solicitado exame de core-biopsy do nódulo que mostrou lesão esclerosante complexa mamária, inconclusiva. Como não houve definição da lesão pela biópsia realizada, optou-se por exérese cirúrgica do nódulo sendo submetida à setorectomia diagnóstica, cujo exame anatomopatológico evidenciou lesão fibroadenomatosa mamária complexa com áreas de proliferação ductal anômala. Somente após a imunohistoquímica da peça cirúrgica, revelando positividade para células mioepiteliais (SMMS-1) e para proteína p63 (DAK P63), que se confirmou o diagnóstico definitivo de hamartoma mióide em mama esquerda.

COMENTÁRIOS

O Hamartoma mióide mamário é um tumor raro e sua incidência exata ainda não é totalmente conhecida. Sua etiologia ainda não foi bem definida, mas acredita-se que os hormônios femininos tenham influência direta em seu crescimento, pois alguns trabalhos relataram positividade para receptores de estrogênio e progesterona em suas células epiteliais e estromais. Para seu diagnóstico é fundamental a associação da história clínica com os exames de imagem e a exerese total da lesão para sua confirmação definitiva pela imunoistoquímica.

PALAVRA CHAVE

Hamartoma, neoplasias benignas mamárias, hamartoma mióide.

Área

GINECOLOGIA - Mastologia

Autores

Welington Lombardi, Flavia Vicentin Silva, Marina Abud Ferreira, Alana Jordão, Thais Marques Mendonça, Ana Carolina Abud Ferreira, Natalia Alves Morise, Laura Oliveira Marchetti

Adicione na sua agenda: AppleGoogleOffice 365OutlookOutlook.comYahoo