59º Congresso Brasileiro de Ginecologia e Obstetrícia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

Análise da sobrevida de gestantes internadas na UTI de uma maternidade da Paraíba

OBJETIVO

A análise de sobrevida é um parâmetro epidemiológico que estima a probabilidade de um ser humano não morrer ou não desenvolver determinada doença ou desfecho indesejado. Com a finalidade de analisar a sobrevida de gestantes internadas na UTI de uma maternidade de referência do estado da Paraíba, o objetivo do estudo é descrever o desfecho das pacientes, avaliar a relação entre o tempo de internação das gestantes e o índice de sobrevivência nos anos de 2016 e 2019 e comparar o tempo de sobrevida entre os mesmos anos.

MÉTODOS

O estudo possui caráter transversal, observacional, retrospectivo, descritivo e analítico. Foram coletadas informações dos prontuários de todas as 333 gestantes admitidas na UTI da maternidade de referência nos anos de 2016 e 2019, os registros foram notificados no sistema de dados da Rede Cuidar. A análise de dados foi feita por descritiva simples, pela curva da função de sobrevida e pela tábua de sobrevida dos anos correspondentes através do software SPSS (Statistical Package for the Social Sciences).

RESULTADOS

Do total de 333 pacientes que foram estudadas (148 do ano de 2016 e 185 do ano de 2019), 0,09% (n=3) foram transferidas para outros serviços de saúde, 4,53% (n=15) tiveram o óbito registrado e 95,38% (n=315) receberam alta hospitalar. Além disso, registrou-se que a duração da internação na UTI entre os dois anos variou de algumas horas até 163 dias, com média de 8,7 dias e mediana de 4 dias. Na curva da função de sobrevida observa-se que a sobrevida diminui com o aumento do tempo de permanência na UTI e ainda que o período de tempo de sobrevida das pacientes admitidas no ano de 2016 é significativamente menor do que as admitidas no ano de 2019, o que foi confirmado pelo de teste de Log-rank (p-valor <0,05). A tábua de sobrevida confirma o que fora observado na curva da função de sobrevida, ou seja, a sobrevida diminui de forma equiparada ao aumento do tempo de internação.

CONCLUSÕES

De acordo com o resultado é possível afirmar que a maioria do grupo estudado recebeu alta hospitalar, seguido por uma parcela que teve o óbito registrado e outra parte que fora transferida. Além disso, pode-se inferir que a sobrevida das pacientes diminui conforme aumenta-se o tempo de internação em ambos os anos estudados, mas que no ano de 2016 o tempo de sobrevida foi menor que no ano de 2019. Confirma-se a necessidade de atenção maior na rede de cuidado obstétrico para aprimorar e reduzir o tempo de cuidado das gestantes que necessitam de internação.

PALAVRA CHAVE

Gestação de alto risco. Análise de Sobrevida

Área

OBSTETRÍCIA - Epidemiologia

Autores

Clarissa Giovana Luna De Oliveira, Júlia Melo Nunes, Raquel Veloso Do Nascimento, Ana Quezia Bezerra De Holanda Sousa, Maysa Ramos de Lima, Lídia Dayse Araújo De Souza, Juliana Sousa Soares De Araujo, Viviane Meneghetti Ugulino Azevedo Isidro

Adicione na sua agenda: AppleGoogleOffice 365OutlookOutlook.comYahoo