59º Congresso Brasileiro de Ginecologia e Obstetrícia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

Elastografia ultrassonográfica no diagnóstico de endometriose: revisão sistemática com metanálise.

OBJETIVO

A elastografia é capaz de mensurar propriedades mecânicas e elasticidade de tecidos. É utilizada no auxílio diagnóstico em diversas patologias, porém ainda não estabelecida para endometriose pélvica (ED). O objetivo deste estudo foi realizar revisão sistemática com metanálise avaliando a performance da elastografia ultrassonográfica no diagnóstico da ED em suas diferentes manifestações.

FONTE DE DADOS

Utilizando as diretrizes PRISMA, foi realizada busca nas bases de dados Medline, PubMed, Embase, BVS/Bireme, Scopus, Cochrane Library e EbscoHost.

SELEÇÃO DE ESTUDOS

Foram elegíveis estudos indexados até março de 2021, avaliando a elastografia comparativamente ao resultado histopatológico (padrão ouro), ultrassom ou ressonância magnética no diagnóstico da ED. A seleção de estudos contou com o auxílio da plataforma Rayyan. Calculou-se sensibilidade, especificidade, valor preditivo positivo, valor preditivo negativo e curva ROC para o diagnóstico elastográfico da ED. Metanálise foi realizada utilizando o Review Manager 5. Registro prospectivo no PROSPERO: CRD42021244555.

COLETA DE DADOS

Das 163 citações, 10 estudos foram elegíveis para a revisão [5 em adenomiose, 2 em endometrioma, 3 em endometriose profunda intestinal e de septo retovaginal (EDP), N=744 mulheres]. Dados foram analisados por dois revisores independentes.

SÍNTESE DE DADOS

Para EDP verificou-se que lesões diagnosticadas à elastografia correlacionaram-se com a histopatologia, com maior grau de “dureza” (elastografia) associada a maior componente fibroso, com sensibilidade de 78 a 100% e especificidade de 100%, de acordo com autores. Endometriomas apresentaram maior rigidez à elastografia que os cistos hemorrágicos (sensibilidade de 82% e especificidade de 79%) e que os tumores malignos (sensibilidade de 86% e especificidade de 100%). Para estas lesões, o limitado número de estudos e insuficiência de dados não permitiu realizar metanálise. Para adenomiose, a elastografia mostrou boa sensibilidade e especificidade visualizadas através da metanálise e da curva ROC. Os estudos apresentaram baixo risco de vieses pela ferramenta QUADAS-2.

CONCLUSÕES

A elastografia mostrou alta sensibilidade e especificidade no diagnóstico da EDP, com associação entre seus achados e a histopatologia das lesões. Para adenomiose, a metanálise confirmou os resultados de sensibilidade e especificidade dos estudos. Considerando esta boa performance, a elastografia pode ser considerada como exame de imagem promissor no auxílio ao diagnóstico não invasivo da endometriose, porém mais estudos são necessários.

PALAVRA-CHAVE

Elastografia Strain, elastografia Shear Wave, ultrassom, endometriose, adenomiose, endometrioma, diagnóstico, acurácia, meta-análise

Área

GINECOLOGIA - Endometriose

Autores

Ana Claudia Brunelli, Luiz Gustavo Oliveira Brito, Flávia Assad Salum Moro, Rodrigo Menezes Jales, Daniela Angerame Yela Gomes, Cristina Laguna Benetti-Pinto

Adicione na sua agenda: AppleGoogleOffice 365OutlookOutlook.comYahoo