59º Congresso Brasileiro de Ginecologia e Obstetrícia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

CARCINOMA ADENÓIDE CÍSTICO DA GLÂNDULA DE BARTHOLIN: RELATO DE CASO

CONTEXTO

O Carcinoma Adenóide Cístico (ACC) da glândula de Bartholin é um tumor extremamente raro do trato genital feminino, de crescimento lento com invasão local e infiltração perineural. Representam cerca de 5% -15% das doenças malignas da glândula de Bartholin. Uma porção muito pequena de todos os carcinomas vulvares são de origem da glândula de Bartholin, e o ACC constitui 10-30% de todas as neoplasias malignas da glândula de Bartholin.

DESCRIÇÃO DO(S) CASO(S) ou da SÉRIE DE CASOS

Uma paciente de 33 anos, nulípara, obesa, procurou nosso ambulatório queixando-se de dor vulvar intensa a direita há 2 anos, progressiva, que irradiava para membro inferior direito e piorava a movimentação. Procurou assistência médica na clínica da família sendo submetida a drenagens, em três oportunidades, sem sucesso. No exame físico apresentava massa endurecida, de formato irregular e aderida aos planos profundos, em região de glândula de Bartholin à direita, de aproximadamente 3 centímetros, sem sinais flogísticos. A ressonância magnética mostrou imagem expansiva com área cística em seu interior em região da vulva, grandes e pequenos lábios a direita, medindo 56 x 27 mm, podendo corresponder a bartolinite. Foi indicado biopsia excisional da tumoração. O laudo intraoperatório por congelação teve resultado positivo para malignidade, compatível com adenocarcinoma invasivo. O resultado histopatológico com inclusão em parafina concluiu ACC com presença de infiltração perineural e vascular, margens cirúrgicas comprometidas.

COMENTÁRIOS

O ACC da glândula de Bartholin, é um câncer vulvar extremamente raro, agressivo e com elevada taxa de recorrência, devido a rica rede vascular e linfática na vulva. A apresentação mais comum é como uma massa vulvar indolor. O diagnóstico padrão ouro é feito por biopsia patológica. O tratamento requer uma dissecção extensa e profunda, vulvectomia radical com virilha bilateral e linfadenectomia pélvica. Excisões menos radical também pode ser eficaz.: No caso da paciente houve encaminhamento para serviço especializado em oncologia, sendo submetida cirúrgico radical, quimioterapia e radioterapia.

PALAVRA CHAVE

Carcinoma Adenoide, Glândula de Bartholin e Glândulas Vestibulares Maiores

Área

GINECOLOGIA - Patologia do Trato Genital Inferior

Autores

BRUNO MENEZES LO BIANCO, FERNANDA ASS GONDIM, LIZZ INGRID JUSTINIANO EGUEZ, PHILLIP Tereza Maria Pereira PETRAGLI, ROBERTO LUIZ CARVALHOSA DOS SANTOS, TEREZA MARIA PEREIRA FONTES, MANOEL MARQUES TORRES, FERNANDO MOREIRA DORNELLAS RODRIGUES

Adicione na sua agenda: AppleGoogleOffice 365OutlookOutlook.comYahoo