59º Congresso Brasileiro de Ginecologia e Obstetrícia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

Atenção ao puerpério na atenção básica – acesso relatado por puérperas

OBJETIVO

Avaliar o acesso a consulta e atendimento no pós parto na atenção básica relatado por puérperas atendidas durante a pandemia de COVID 19.

MÉTODOS

Este estudo apresenta resultados parciais de uma pesquisa denominada “complicações Obstétricas e puerperais durante a epidemia de COVID 19”. Realizada em um Hospital Universitário no Sul do Brasil. O hospital em que foi feita a coleta de dados não é referência para casos de COVID na gestação. Os sujeitos do estudo foram as puérperas cujos bebês nasceram no referido hospital após o início da epidemia de COVID 19. Os dados foram coletados em dois momentos – logo antes da alta hospitalar após o nascimento e entre um a dois meses de puerpério. Em ambos os momentos os dados foram avaliados por questionários autopreenchidos pela mulher. Na alta hospitalar o questionário foi preenchido manualmente, e o questionário do puerpério mais tardio foi preenchido em plataforma eletrônica. Todas as mulheres participantes assinaram um Termo de Consentimento Livre e Esclarecido antes do início da pesquisa.

RESULTADOS

Participaram da pesquisa 257 mulheres. Todas elas preencheram o questionário na alta após o nascimento do bebê. No entanto, apenas 93 mulheres preencheram o questionário eletrônico enviado no puerpério – após 4 a 12 semanas do parto.
Dez mulheres não realizaram consulta puerperal. Das que realizaram, também dez tiveram suas consultas em serviços privados. Vinte mulheres relataram dificuldades em agendar consultas, mas 13 delas agendaram no centro de saúde, portanto esses casos não se sobrepõem às que não marcaram ou marcaram em serviço privado. Outras cinco mulheres relataram que tiveram que pagar consulta pediátrica para seus filhos, já que não conseguiram agendar consulta pelo centro de saúde.
Relataram ter tido algum problema de saúde após o parto onze mulheres. Destas, duas não conseguiram agendar consulta puerperal. Nove mulheres relataram que os bebês tiveram algum problema de saúde. Dessas, uma mulher referiu ter pago uma consulta com pediatra de serviço privado.
Não foi encontrada significância entre não ter feito consulta puerperal e local do pré-natal (SUS ou privado, atenção básica ou serviço especializado).

CONCLUSÕES

Da amostra, 10,8% não fizeram uma consulta após o parto, e 21,5% relataram dificuldade em agendar consultas nesse período. Outros 10,8% da amostra fizeram a consulta, mas em serviços privados.

PALAVRA CHAVE

Período Pós-Parto

Área

OBSTETRÍCIA - Obstetrícia Geral

Autores

Vitor Leonardo Nandi, Jéssica Goedert Pereira, Margot Marie Martin, Roxana Knobel, Yasmin Lima Gouveia Arruda, Mariana Nunes Miranda Carasek da Rocha , Alberto Trapani Junior

Adicione na sua agenda: AppleGoogleOffice 365OutlookOutlook.comYahoo