59º Congresso Brasileiro de Ginecologia e Obstetrícia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

FATORES ASSOCIADOS A CÂNCER EM PÓLIPOS DE ENDOMÉTRIO DE MULHERES SUBMETIDAS À POLIPECTOMIA HISTEROSCÓPICA

OBJETIVO

Este estudo teve como objetivo principal analisar a incidência e os fatores associados às lesões precursoras e câncer em pólipos de endométrio de mulheres submetidas à polipectomia. Além de caracterizar o perfil clínico-epidemiológico, sintomatológico e histopatológico das pacientes; avaliar a prevalência de câncer em pólipos do endométrio das pacientes submetidas à polipectomia histeroscópica e determinar possíveis associações entre as características clínico-epidemiológicas, sintomatológicas e histopatológicas em relação à malignidade.

MÉTODOS

Trata-se de um estudo transversal retrospectivo de natureza descritiva e quantitativa, realizado em um hospital de ensino de referência. A população estudada foi composta por 186 mulheres. Os dados foram processados no software estatístico Statistical Package for Social Sciences, versão 21.0. As associações de interesse foram verificadas utilizando-se o teste qui-quadrado e teste exato de Fisher, adotando-se o nível de significância.

RESULTADOS

A incidência de casos positivos para malignidade no estudo foi de 5,4%. A média de idade foi de 51,44(±11,48) anos para biópsia negativa e 49,97(±11,63) para pacientes com biópsia positiva. No estudo, o IMC médio encontrado nas pacientes com pólipos sem malignidade foi de 32,13kg/m2 (±6,12) e este foi maior para as pacientes com biópsia positiva (35,58kg/m2 ±6,24). O sintoma mais relatado pelas pacientes foi o sangramento uterino anormal, tanto para os casos de pólipos benignos (42,9%), quanto malignos (44,4%). A maioria das mulheres encontrava-se no menacme/ pré-menopausa, 62,3% (benignos) e 77,8% (malignos). O tamanho médio dos pólipos foi 2,2cm (±1,3). Houve associações significativas entre sangramento pós menopausa e hipertensão, diabetes, obesidade e hipotireoidismo. Em relação a malignidade, foi encontrada uma chance de 5,4 vezes maior para mulheres com infertilidade. Entretanto, o tamanho dos pólipos maior que 2cm foi associado a biópsias benignas.

CONCLUSÕES

Os pólipos endometriais foram mais frequentes em mulheres no menacme e pré-menopausa e o sangramento uterino anormal foi o sintoma mais relatado, tanto nos pólipos benignos quanto malignos.
A incidência de malignidade entre os casos estudados foi baixa e a infertilidade feminina pareceu aumentar o risco para biópsias positivas. Além disso, o sintoma sangramento pós-menopausa foi indicativo de pólipo endometrial e apresentou maior chance de aparecimento em pacientes hipertensas, diabéticas, obesas e com hipotireoidismo.

PALAVRA CHAVE

Pólipos endometriais; Histeroscopia; Câncer; Fatores de risco.

Área

GINECOLOGIA - Endoscopia Ginecológica

Autores

MARCELA AGUIAR REIS GONÇALVES, IONE MARIA RIBEIRO SOARES LOPES

Adicione na sua agenda: AppleGoogleOffice 365OutlookOutlook.comYahoo